Jacaré revela que chorava no camarim na época do “É O Tchan!” por causa de situações envolvendo a TV e Carla Perez

Dançarino sentia que se esforçava, mas a mídia só dava destaque à Loira do Tchan

Anúncio


Na última terça-feira (24), a página do Instagram Notícias Ordinárias publicou algumas revelações feitas por Jacaré, que era dançarino do “É O Tchan!”. Nelas, ele contou que chegava a chorar no camarim por causa de situações envolvendo a mídia e também a dançarina Carla Perez.

Continua depois da publicidade

O grupo É o Tchan! surgiu na Bahia, em 1992, e é um verdadeiro fenômeno com sucessos lembrados por todos os brasileiros. Em sua formação original, o grupo contava com o trio de dançarinos Carla Perez, Débora Brasil e Jacaré, e com os vocalistas “Cumpadi” Washington e Beto Jamaica.

Você pode gostar: Humorista Fábio Porchat pode ocupar o lugar de Fausto Silva, apresentador da Rede Globo, afirma a web

Continua depois da publicidade

Do grupo, também participaram as dançarinas Sheila Mello e Scheila Carvalho e o vocalista Tony Salles, casado com a Scheila Carvalho desde 2007. Atualmente, o grupo é formado pelos vocalistas “Cumpadi” Washington e Beto Jamaica, da formação original, e pelos dançarinos Thais Cordeiro e Juninho Dumel.

Continua depois da publicidade

Jacaré também trabalhou como ator e integrou, por 11 anos, a “Turma do Didi”. Atualmente, ele vive no Canadá com a família, país para o qual se mudou em 2016. Atualmente, o ex-dançarino trabalha em uma agência que ajuda brasileiros a se mudarem para o exterior.

Apesar de toda a alegria que o É o Tchan! sempre levou aos brasileiros, na entrevista divulgada hoje, Jacaré revelou uma situação triste que poucos sabiam sobre: o ex-dançarino revelou que, por muitas vezes, chorava no camarim por causa da forma que a mídia tratava os integrantes do grupo.

Segundo Jacaré, a imprensa só dava destaque para a Carla Perez, a Loira do Tchan, que era a única branca que integrava o grupo, composto também por três homens negros e uma mulher negra, a Morena do Tchan, Débora Brasil.

O ex-dançarino contou que seu choro era por frustração, já que todos se esforçavam bastante para darem o seu melhor e que não conseguiam reconhecimento da mídia. Apesar disso, ele não culpa a Carla Perez, mas sim a forma com que a mídia tratava o grupo e a forma que a sociedade funcionava. Veja só o que ele disse, na ocasião:

Não perca essa: Zilu Godoi lamenta a perda de seu ex-sogro: ”A morte não é nada”

Na TV, todo mundo foi só em cima da Carla Perez. Não aparecia a gente, pois só queriam mostrar a Carla. É culpa do sistema, da sociedade, que queria mostrar sempre a mulher. Éramos quatro negros, eu, Beto e Compadre Washington, e chamavam sempre a mulher loura, e não a Débora [Brasil]. E todo o grupo ficava triste, muito triste. A gente batalhava tanto, ensaiava, criava, e os caras fazem isso, jogava só para uma pessoa. Eu chorava no camarim

Nos comentários da publicação, alguns internautas que acompanham a página do Instagram Notícias Ordinárias manifestaram suas opiniões acerca dessas revelações feitas pelo Jacaré. Neles, os internautas falaram sobre racismo e demonstraram seu carinho pelo ex-dançarino.

“Realmente, não é culpa dela, isso vem de um processo histórico, o racismo está impregnado na alma das pessoas , desde q o mundo eh mundo.”, afirmou uma internauta, reforçando que a culpa realmente não era da Carla Perez e sim do racismo.

“Mas meu favorito sempre foi o Jacaré… Dançarino de vdd!”, disse outra seguidora da página, elogiando o ex-dançarino e reconhecendo o esforço que ele sempre demonstrou em dar o seu melhor pelo grupo.

Leia também: Enquete A Fazenda: Internautas pedem repescagem de Mirella, Luiza Ambiel e Lucas

 

Carregando comentários aguarde...
...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais

Política de Privacidade e Cookies