Aprenda mais sobre cortes de carne bovina antes de consumir; veja agora

Veja quais são os tipos mais indicados para preparo e economize na hora da compra

Anúncio


Cortes de carne bovina: Acém, pá, alcatra, filé mignon… São inúmeros os cortes de carne bovina que podem compor o cardápio alimentar dos brasileiros. Ter uma dieta farta e rica em proteínas é possível, entretanto, existem algumas formas específicas de cozimento para cada um dos cortes.

Continua depois da publicidade

Dessa forma, o Folha Go hoje (30/10)  preparou um guia para te orientar a como preparar suas carnes, afinal aprender mais sobre cortes de carnes bovinas antes de consumir é muito bom.

Na matéria abaixo, você vai poder aprender como aproveitar mais os sabores e nutrientes. Assim, evitará desperdícios na hora da compra e terá uma refeição bem mais saudável. Veja só!

Continua depois da publicidade

Leia mais: Sobremesas de café: confira as 3 receitas super deliciosas para inovar

Continua depois da publicidade

Os tipos de cozimento para cada um dos cortes de carne bovina

Certos tipos de carne precisam somente de um pouco de sal e de uma grelha para apurarem seu sabor natural. Contudo, outros tipos necessitam do cozimento feito de maneira mais lenta, na água. Também requerem que outros ingredientes, tal como legumes, seja adicionados a fim de enriquecer seu sabor.

O preparo que é mais recomendado para os cortes que possuem grandes partes de gordura é assado, refogado, bem como grelhado. Enquanto isso, as alternativas de cortes de carnes bovinas menos gordurosas, certamente ficam incríveis nos ensopados.

Dessa forma, conhecendo melhor o funcionamento dessas três formas de cocção, aproveita-se o potencial de nutrição completo do prato. Com isso, a escolha das carnes que são mais adequadas fica mais fácil.

O cozimento é um calor úmido que ocorre através de líquidos quentes ou de vapor.  É preciso observar que os cortes de carne bovina que possuem pouco colágeno, requerem um método para cocção onde sejam hidratados, como o cozimento. Exemplos dessas carnes são: peito, paleta, capa de filé, bem como acém.

Aprendendo mais sobre os cortes de carne bovina, outros cozimentos

Outra forma de cozimento é mais lentamente na água. Para isso, deve-se ferver o alimento no fogo bem baixo, com a quantidade de líquidos suficiente para que fique coberto. Além disso, a temperatura deve permanecer entre 95 °C. A preparação desse tipo é ideal para as carnes que são mais duras, tal como coxão duro, acém, rabo, músculo e costela.

Todavia, nesse método geralmente ocorre a perda dos componentes hidrossolúveis. Isso altera o valor nutritivo dos alimentos. A fim de minimizar tais perdas nutricionais, a recomendação é reduzir a quantidade da água, bem como o tempo da cocção.

Calor seco é usado nos cortes de carne bovina mais macias, nas preparações grelhadas e malpassadas. Quais carnes são melhores para esse método? Contrafilé, alcatra, coxão mole, maminha, bem como a fraldinha e a picanha.

Cozinhando carnes no vapor: aprendendo mais sobre cortes

O tempo de cozimento da carne é essencial para conservar o sabor e a suculência
O tempo de cozimento da carne é essencial para conservar o sabor e a suculência – Foto: Taico

Cozinhar a vapor vem se tornando algo cada vez mais interessante, uma vez que realça a aparência da comida. Além do mais, reduz a perda dos nutrientes pela dissolução. Esse método consiste na cocção através do vapor envolvendo a carne, seja na pressão ou não.

Confira também: Baba de moça: um doce português que caiu no gosto dos brasileiros

Quando é feito sem pressão, usa-se um vasilhame com orifícios em seu fundo e outra parte onde fica a água. Ali os alimentos serão dispostos e cozidos por conta do líquido fervente. Já a cocção sob pressão necessita de panelas especiais, com vedação de uma tampa. Ali se formará a pressão que, quanto maior, mais rápido cozinhará a carne.

Essa forma de cozinhar é uma das mais empregadas em carnes mais duras, com nervos. Bons exemplos são: lagarto, rabo, coxão duro, músculo e costela.

Cuidados nos preparos dos cortes de carne

O cuidado que você deve ter  com a carne começa na hora de armazenar e conservar. As que não serão preparadas de imediato precisam ser colocadas em geladeira. Portanto, não deixe permanecer mais que 30 minutos sem refrigeração. Mas, por qual motivo? Para assim evitar que micro-organismos se desenvolvam.

Então, carnes bovinas devem ser feitas com menos óleo e sal. Veja que essa é a melhor maneira de reduzir os efeitos nocivos desses ingredientes. Portanto, uma ótima ideia é usar ervas, tal como sálvia, tomilho e alecrim.

Alguns cuidados devem ser tomados na hora de preparar aquela carne deliciosa
Alguns cuidados devem ser tomados na hora de preparar aquela carne deliciosa – Foto: Forbes

 

Pois bem, outra sugestão é prestar bastante atenção na temperatura dos cozimentos da carne. Quanto maior for, mais perdas de sucos pela desidratação acontecerão. Ora o resultado será uma carne menos macio e menos suculenta. O ideal é que a cocção esteja com a temperatura entre:

  • 60º e 70°C para as carnes que se queiram ao ponto;
  • 70º e 80°C para aquelas bem passadas;
  • 80º e 90°C para as muito passadas.

Lembre-se também que, quando você for assar os cortes de carne bovina, a temperatura vai precisar ficar em 74°C no centro do alimento. Então, uma maneira de verificar o ponto é quando a carne apresenta a coloração parda por fora e por dentro. Então, apenas assim, será possível garantir que os micro-organismos nocivos sejam eliminados.

Carregando comentários aguarde...
...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais

Política de Privacidade e Cookies