Pesquisadores apontam o animal civeta como intermediário da Covid-19

Mamífero africano se parece com a Raposa e está no radar para estudos

Anúncio


O mundo ainda busca respostas para a pandemia da Covid-19. Morcegos, pangolins e, agora, a civeta (mamíferos africanos que se parecem com raposas) estão entre os animais suspeitos como intermediários da doença. Hoje, 22/12, o Folha Go traz um estudo sobre o tema na Coluna Pets.

Continua depois da publicidade

Leia ainda: Animais e Coronavírus passam por estudo para saber dos riscos

Pesquisadores apontam civeta como hospedeiro intermediário da Covid-19
Civetas são citadas em estudo sobre hospedeiros do Coronavírus (Crédito Aol)

Leia a matéria até o fim e descubra mais sobre as civetas. Ainda, veja que os animais estavam em estudo de pesquisador francês de 2020, quando um vírus variante esteve em análise.

Continua depois da publicidade

Civeta é a chave do quebra-cabeça?

A pergunta é frequente: como o Coronavírus passou do morcego para o homem? Contudo, o pesquisador francês Meriadeg Le Gouil, coordenador de uma pesquisa sobre  a origem da pandemia, aponta a civeta como hospedeiro entre o morcego e o ser humano.

Continua depois da publicidade

Nesse sentido, Meriadeg descarta os pagolins, até então apontados, como principais hospedeiros. No entanto, a fase de estudos é precoce e ninguém garante como foi o surgimento do vírus.

Segundo os pesquisadores, a análise do Novo Coronavírus mostra vestígios de vários vírus presentes na natureza, mas não todo o histórico. Assim, é como se os cientistas conhecessem a família, mas ainda não tivessem visitado a casa dos patriarcas.

O que é quase unanimidade entre os cientistas é que o Coronavírus foi transmitido ao homem por um animal. Estudiosos chineses apontaram um mercado na cidade de Wuhan, onde havia comércio de animais selvagens.

Dessa forma, a ciência foi capaz, até agora, de vincular o Coronavírus a um vírus estudado em 2013, em um morcego em Yunnan, no sul da China. A semelhança genética entre eles é de 96%. Bem como, os avanços descartam que o vírus surgiu de origem sintética em laboratório, por exemplo, como os Estados Unidos suspeitaram.

Leia ainda: Visons e Coronavírus, entenda essa relação que passa por estudo

Por que a civeta surgiu como hipótese?

Por mais que a transmissão entre morcego e homem seja possível, cientistas alegam que o contato deveria ser constante. Em entrevista para veículos internacionais, o pesquisar francês, praticamente, descartou essa relação direta entre transmissão de morcegos para os seres humanos.

“A menos que tenha acontecido um tráfico absolutamente gigantesco de morcegos nos últimos três anos”, disse ele.

Pesquisadores apontam civeta como hospedeiro intermediário da Covid-19
Fezes da civeta passam por processo para fabricação de café (Crédito Wire)

Para o cientista, a opção de outro animal como hospedeiro é a mais provável. “Está faltando uma peça do quebra-cabeça, que pode não ser o pangolim, como alguns suspeitam, mas a civeta”, um pequeno mamífero carnívoro, completou.

Ademais, vale citar que as fezes da civeta fazem parte da produção de um tipo de café, considerado um dos mais caros do mundo. Ainda mais, o cientista já encontrou esse pequeno mamífero durante a epidemia causada por outro Coronavírus, mais leve, em 2002.

Concluindo o tema de hoje, fica um alerta de que o vírus da Covid-19 continua sendo mistério em muitos aspectos. Além disso, segue assombrando e causando muitos danos, nos humanos e também em animais. Dessa maneira, manter a prevenção e os cuidados básicos continuam valendo.

Leia ainda:  Furão de estimação tem curiosidades incríveis para quem pretende criar pet

Gostou dessa matéria? Acompanhe mais em nossas redes sociais e compartilhe

Carregando comentários aguarde...
...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais

Política de Privacidade e Cookies