Câmara de BH aprova fim das carroças puxadas por animais; veja essa conquista

Em votação quente, vereadores determinaram a redução gradativa de carroças e charretes

Anúncio


A Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH) viveu um dia de votação quente na terça-feira, 15/12. O Projeto de Lei 142/17  aprovado em 1º turno determinou o fim das carroças e charretes puxadas por animais na capital mineira. Assim, a redução será gradativa, mas você acompanha como foi o debate caloroso e outras informações, hoje, 17/12, no Folha Go, na Coluna Pets.

Continua depois da publicidade

Leia ainda: Você já ouviu falar da Titanoboa? Conheça a história dessa serpente fatal

carroças puxadas por animais
Carroças e charretes terão redução gradativa em Belo Horizonte Crédito InfoEscola

Carroças e charretes puxados por animais

Os vereadores da CMBH tiveram que lidar com duas classes atuantes. De um lado, ativistas à favor dos animais protestavam. Do outro, carroceiros pediam a permanência da tração animal. Muitos apontam que é a única forma de sustento da categoria.

Continua depois da publicidade

No fim, prevaleceu o lado dos ativistas. Contudo, os vereadores também reforçaram que o Poder Executivo não tem obrigação de fornecer novos veículos de tração motorizada para substituir os animais. Agora, o projeto segue para redação final e sanção ou veto do prefeito Alexandre Kalil (PSD).

Continua depois da publicidade
carro de animais
o projeto segue para redação final e sanção ou veto do prefeito Alexandre Kalil (PSD) | Imagem WordPress

O principal ponto do projeto é a substituição dos veículos de tração animal por veículos de tração motora, como motocicletas, por exemplo, que seriam acopladas a caçambas.

Entretanto, os carroceiros defendem que a proibição da atividade beneficia apenas empresários, pois muitos profissionais não têm carteira de motorista. Entretanto, o projeto foi votado e aprovado por 28 votos.

Leia ainda: Ceia de Natal para os pets, conheça receitas especiais

Além disso, os carroceiros alegam que os animais são bem tratados. Entretanto, essa não é a visão dos ativistas. A categoria dos carroceiros ainda faz pressão para que o prefeito apoie a regulamentação da profissão.

Segundo os carroceiros, eles contribuem para diminuir a poluição do ar e no combate à dengue. Por conta dos impactos da Covid-19, a sessão não teve a presença de ninguém das duas partes interessadas.

Fim para as próximas gerações

O projeto já era alvo de discussão há muito tempo. Estima-se que em Belo Horizonte há cerca de 8 mil carroceiros. Muitos herdaram a profissão dos pais, mas as condições dos animais é motivo de preocupação.

A expectativa é que as próximas gerações utilizem o trabalho motorizado ou exerçam outra atividade. O assunto ainda terá repercussão na cidade, até pela pressão das categorias e impacto em milhares de pessoas.

carroças puxadas por animais
Ao todo, 28 vereadores votaram a favor do projeto Crédito – Wrang

Ademais, a classe que defende os carroceiros alega que eles não terão outro modo de sobrevivência. Já os ativistas garantem que os animais merecem liberdade e o momento não permite a manutenção desse tipo de atividade.

Além disso, outras capitais como São Paulo, Rio de Janeiro, Belém, Fortaleza, Vitória, Curitiba, Porto Alegre e Brasília já vetaram o uso de tração animal. Os carroceiros terão um prazo de 10 anos para ajustes.

Contudo, quem insistir após o prazo, terá o animal recolhido. Assim, eles irão para o Centro de Zoonoses para realização de exames. Depois, ficarão à espera de adoção.

 

Leia ainda:  Furão de estimação tem curiosidades incríveis para quem pretende criar pet

Fique atento e acompanhe as notícias sobre a decisão do fim das carroças puxadas por animais.

Carregando comentários aguarde...
...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais

Política de Privacidade e Cookies