Doença do carrapato é grave? Conheça o tratamento e confira dicas da veterinária

Entenda mais sobre as doenças transmitidas pelos carrapatos

Anúncio


Carrapatos são ácaros parasitas. Normalmente vivem em arbustos ou áreas gramadas esperando para se agarrar a um animal, e alimentar de seu sangue. Em infestações intensas, o hospedeiro, no caso o pet, devido a doença do carrapato, pode perder uma grande quantidade de sangue e ficar anêmico. Dessa maneira, a doença pode se agravar. É por isso que, hoje, 21/12, a Coluna Pets, do Folha Go, vai falar mais sobre a doença do carrapato.

Continua depois da publicidade
doença de carrapato
O carrapato representa uma grave ameaça para animais e pessoas. | Imagem: centro veterinario seres

É fato que a picada do carrapato também é muito dolorosa. Pois o parasita está preso à pele por fileiras de dentes em forma de arpão. Dessa forma, ele também secreta um tipo de cola que o ajuda a aderir ao animal e causa doenças de pele.

Além do mais, essa saliva contém um anticoagulante que permite ao carrapato sugar sangue por vários dias. Por isso, esta substância não só causa muita dor e desconforto, mas também pode transmitir microrganismos que, certamente, representam uma grave ameaça para animais e pessoas.

Continua depois da publicidade

Leia ainda: Veja um panorama dos animais em extinção no Brasil e no mundo

Continua depois da publicidade

Carrapato: responsável por transmitir várias doenças

doença do carrapato
Infelizmente o carrapato pode transmitir várias doenças . – Foto Animais Pet

Para esclarecer mais sobre esse assunto, entrevistamos a veterinária responsável pela Coluna Pets, Bruna Hermes. Ela falou um pouco as doenças, os cuidados e os tratamentos  para cuidar da saúde do seu pet. De acordo com a veterinária:

“Dessa forma, o carrapato acaba sendo um vetor de várias doenças. Entre elas a febre maculosa. Entre os sinais clínicos que essas doenças estão a anorexia, o emagrecimento, a anemia e a letargia.  Além disso, o animal começa a ficar mais prostrado e a ter perda de peso. Alguns têm sangramento espontâneo na narina e na ponta da orelha. A mucosa do olho e da boca fica mais esbranquiçadas. Normalmente é aí que o tutor começa a perceber alguma alteração”.

Cuidados

Confira alguns cuidados que valem a pena você observar para proteger sua família e seu animal de estimação.

“Os cuidados são maiores no período de verão. Já que nesse época existe uma proliferação maior do carrapato. O ideal é que sempre utilize um antipulgas que cobre também o carrapato”.

Tratamento

O tratamento é um passo importante para eliminação e controle de parasitas. Tendo isso em vista, saiba como proceder para não errar na hora de cuidar do pet, caso ele seja vítima do carrapato.

“O tratamento precisa ser indicado pelo veterinário. Porém, tem alguns tipos de antibióticos específicos. Normalmente pede-se um exame de sangue ao proprietário do pet para ver qual nível de anemia o animal pode estar. Isso porque há animais que precisam ser submetidos a transfusão de sangue”.

Portanto, observe o pet. Se há mudanças de comportamento como, por exemplo, coceira demasiada, irritação ou inquietude, pode ser indício que algum parasita esteja no animal. Assim, a veterinária também alerta sobre a importância do tutor ficar atento aos sinais dos pets:

“ Uma maneira do tutor perceber é sempre fazer a revisão do seu pet. Quando encontrar um carrapato não significa que todo carrapato vai transmitir a doença. Mas o carrapato precisa ser retirado. Ademais, o tutor precisa atento nas próximas semanas. Se o animal não comer o tutor deve ficar em alerta e levar ao veterinário”.

Leia ainda: Conheça sobre os cães cantores da Nova Guiné e os motivos do uivo

Doença do carrapato: conheça as principais

doença do carrapato
Algumas doenças podem passar desapercebidas. Foto – Petgusto

Um cão saudável pode lidar com alguns carrapatos sem problemas. Aliás, um carrapato pode sugar uma pequena porção de sangue, o que não afeta seu hospedeiro. Contudo, se o número de carrapatos for alto, eles podem enfraquecer o animal, e propagar doenças graves. No entanto, essas doenças podem passar despercebidas. As principais são:

Babesiose canina

É uma doença distribuída em todo o mundo. Ela é produzida por um parasita sanguíneo que destrói os glóbulos vermelhos. O quadro clínico é agudo e se apresenta com 2 a 3 dias de anorexia, desânimo, vômitos e febre alta.

O sintoma mais característico da doença é a urina escura, devido à destruição das hemácias, e a coloração amarelada das mucosas, pelo aumento da bilirrubina.

O diagnóstico

O diagnóstico precoce é importante para a cura do cão. Se a doença estiver avançada,o tratamento dos sintomas colaterais é importante. Em animais gravemente afetados, as transfusões são vitais e eficazes.

É importante saber que o parasita realiza o final de seu ciclo nas glândulas salivares e é estimulado por sua alimentação. Por esse motivo, o carrapato não inocula a infecção antes de se alimentar do cão por 48 a 72 horas. Dessa forma, esse tempo é importante, por exemplo, para que os remédios façam efeito.

Ou seja, um remédio eficaz contra os carrapatos os mata antes que consigam inocular a doença. Existem cães imunes à doença e outros sensíveis. Ademais, cães entre 2 a 8 meses são sofrem mais com os carrapatos.

Doença de Lyme

A borrelia é a causa dessa doença. São sintomas da doença a apatia, a perda de apetite e a febre. Embora os principais sintomas sejam claudicação, rigidez dos membros e dores nas articulações dos cães afetados. Ademais, o tratamento é feito com antibióticos.

Erliquiose canina

O carrapato também transmite essa doença para os cães. O quadro clínico inclui apatia, anorexia, febre, perda de peso, sangramento, aumento do fígado e do baço e envolvimento dos gânglios linfáticos.

Nesse sentido, conjuntivite e sangramento também podem afetar os olhos. No entanto, o quadro clínico é bastante inespecífico. Embora o mais notável possa ser as hemorragias, que aparecem como simples manchas vermelhas na pele e nas mucosas. O tratamento é baseado em um antibiótico por um longo período de tempo.

Prevenção dos carrapatos

doença do carrapato
Existem formas de prevenir as doenças. Foto – Meu Pet

A médica, Bruna Hermes, enfatiza a importância, por exemplo, do tutor levar seu pet para uma avaliação com o veterinário da sua confiança. O médico irá indicar o melhor tratamento para o pet.

Ademais, a veterinária alerta também para o perigo da medicação sem orientação segura de um profissional capacitado para tal. Entretanto, para informar sobre os medicamentos disponíveis, veja que existem produtos bastante eficazes contra carrapatos, dos quais mencionaremos alguns. Podemos agrupá-los, por exemplo, em três categorias:

  1. Colares:
  • Scalibor (Deltametrina) MSD Saúde Animal;
  • Seresto (Imidaclopride + Flumetrina) Bayer.
coleira
Use coleiras e proteja seu pet | Imagem Tudo Extra
  1. Pipetas:
  • Advantix (Imidaclopride + Permetrina) Bayer;
  • Fortaleza (Selamectina) Zoetis;
  • Advocate (Imidaclopride + Moxidectina) KVP Pharma;
  • Frontline Tri-Act (Fipronil + Permetrina) Merial.
pipetas para cachorros
As pipetas contem remédios para proteger os pets | Imagem Hola
  1. Comprimidos:
  • Intervet Bravecto (Fluralaner);
  • Nexgard (Afoxolaner) Merial;
  • Simparica (Sarolaner) Zoetis.

É possível que a eficácia dos produtos, por exemplo, varie de acordo com as áreas. Isso ocorre devido aos diferentes carrapatos existentes. Por isso é importante consultar um médico antes de medicar o pet.

Sendo assim, é possível combinar dois desses produtos para aumentar a defesa do animal. Ademais, isso pode ser feito em áreas com muitos parasitas,

Leia ainda:  Furão de estimação tem curiosidades incríveis para quem pretende criar esse pet

Por fim, gostou dessa matéria? Acompanhe mais em nossas redes sociais

Carregando comentários aguarde...
...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais

Política de Privacidade e Cookies