ONU obtém US$ 2 bilhões em ajuda para Iêmen, que está em guerra há mais de 3 anos

País está devastado por pela guerra que começou com uma intervenção de uma coalização liderada pela Arábia Saudita.

Anúncio


A Organização das Nações Unidas (ONU) obteve, nesta terça-feira (3), mais de US$ 2 bilhões de promessas de ajuda do total dos US$ 3 bilhões pedidos para socorrer o Iêmen. O país está devastado por uma guerra que começou há mais de três anos, no dia 26 de março de 2015, segundo a France Presse.

Continua depois da publicidade

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, considerou a promessa de arrecadação um “êxito extraordinário para a solidariedade internacional com o Iêmen”. “Foram anunciados mais de US$ 2 bilhões. Muitos países já anunciaram que haverá mais doações até o fim do ano”, afirmou, em Genebra.

“O Iêmen vive, na atualidade, a pior crise humanitária no mundo”, declarou Guterres, que explicou que, para este ano, a ONU precisa de US$ 2,960 bilhões para implementar os programas de urgência nesse país. “Nós podemos e devemos evitar que isso se transforme em uma tragédia a longo prazo”.

Continua depois da publicidade

Guterres exortou os grupos em guerra no Iêmen a firmarem um acordo de paz. Seu enviado especial, Martin Griffiths, irá aos Emirados Árabes Unidos, a Omã e a Áden, cidade iemenita controlada pelo governo, para pedir a paz, disse Guterres aos repórteres.

Continua depois da publicidade

Griffiths já conversou com os dois lados da guerra, que atraiu potências regionais, encontrando-se com autoridades dos houthis que controlam a capital Sanaa e com o presidente iemenita reconhecido internacionalmente, Abd-Rabbu Mansour Hadi, além de autoridades sauditas em Riad.

Guterres disse ter visto “perspectivas positivas” para preparar um plano de ação “que leve a um diálogo inter-iemenita eficiente e capaz de produzir uma solução política, é claro que com o envolvimento de todos aqueles que são relevantes neste conflito”. “Estou otimista com esta possibilidade”, acrescentou.

Últimos ataques

Na segunda-feira (26), dia em que a intervenção militar completou três anos, os rebeldes huthis dispararam sete mísseis que foram interceptados pela defensa antiaérea da Arábia Saudita. Os destroços mataram uma pessoa e deixaram dois feridos na capital saudita, Riad.

Três mísseis tinham como alvo a capital Riad, um seguia para a cidade de Jamis Mesheit, outro para Najran e dois para a localidade de Jazan, sul da Arábia Saudita, segundo comunicado do coronel Turki Al Maliki, porta-voz da coalizão.

Esta é a primeira vez desde o início da intervenção no Iêmen que a coalizão liderada por Riad informa sobre tantos disparos de mísseis em apenas um dia contra a Arábia Saudita. “É um acontecimento grave”, classificou Maliki.

Carregando comentários aguarde...
...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais

Política de Privacidade e Cookies