Bolsa Família: “meu auxílio não caiu na conta”; saiba o que significa

Duas causas mais comum podem levar a esta situação

Anúncio


Bolsa Família – Na última segunda-feira, dia 19, o pagamento da 7ª parcela do auxílio emergencial começou a ser transferido para os beneficiários do Bolsa Família. No entanto, alguns deles relataram o seguinte: “meu auxílio não caiu na conta“. Tendo isso em vista, algumas situações podem de fato levar a essa situação. Veja mais sobre isso, agora mesmo, neste 20 de outubro.

Continua depois da publicidade
Bolsa Família: "meu auxílio não caiu na conta"; saiba o que significa
Bolsa Família: “meu auxílio não caiu na conta”; saiba o que significa – Imagem: Divulgação UOL

Saiba, portanto, as prováveis causas que podem levar o auxílio emergencial não ser devidamente depositado na conta, mesmo que o beneficiário já tenha recebido as parcelas anteriores.

Leia também: Mudou o calendário do Bolsa Família 2020? Entenda melhor

Continua depois da publicidade

Meu auxílio não caiu na conta, o que pode ter acontecido?

A segunda parcela após a última prorrogação do auxílio emergencial no valor de R$ 300 e R$ 600 (para mulheres chefes de família) começou a ser paga nesta segunda-feira para quem recebe o Bolsa Família.

Continua depois da publicidade

A parcela corresponde ao 7º pagamento da ajuda criada pelo governo para beneficiar as camadas mais prejudicadas pela pandemia da Covid-19, como os trabalhadores informais, microempreendedores individuais, desempregados e outras categorias.

No entanto, alguns beneficiários relataram o seguinte problema: meu auxílio não caiu na conta. Tendo isso em vista, o que pode ter acontecido?

Duas situações levam a esse problema:

  • A data do pagamento não foi atendida (ainda não chegou a data certa);
  • Algum critério de participação do auxílio emergencial deixou de ser cumprido.

Dessa forma, os beneficiários do Bolsa Família que migraram para o auxílio emergencial recebem a parcela (desde abril e receberão até dezembro) nos dias definidos pelo calendário regular do programa, o mesmo é determinado pelo Número de Identificação Social (NIS).

Ou seja, se o dígito final do NIS do beneficiário terminar em 3, o valor da parcela só estará disponível para saque no dia previsto, nunca antes. Dessa maneira, caso o usuário vá até uma agência da CEF (Caixa Econômica Federal) ou Casas Lotéricas antes da data, o benefício ainda não terá sido transferido para a conta.

Sendo assim, confira o calendário corresponde a este mês (outubro):

  • NIS de final 1, Segunda-feira -19 de outubro;
  • 2, Terça-feira – 20 de outubro;
  • 3, Quarta-feira – 21 de outubro;
  • 4, Quinta-feira – 22 de outubro;
  • 5, Sexta-feira – 23 de outubro;
  • 6, Segunda-feira – 26 de outubro;
  • 7, Terça-feira – 27 de outubro;
  • 8, Quarta-feira – 28 de outubro;
  • 9, Quinta-feira – 29 de outubro;
  • 0, Sexta-feira – 30 de outubro.

Portanto, para conferir qual é o NIS, basta verificar a numeração presente no cartão do programa ou no Cartão Cidadão e conferir qual o último dígito, este pode ser qualquer número entre 0 e 9.

Outra causa para a parcela não ter caído na conta

Além do não cumprimento da data, desatender a algum dos critérios de participação do auxílio pode cancelar o benefício, interrompendo o recebimento das parcelas, inclusive para quem é beneficiário do Bolsa Família.

As principais causas para que o auxílio não seja creditado são: receber o Seguro-desemprego, começar a trabalhar de carteira assinada ou passar a receber algum benefício previdenciário como aposentadoria.

Portanto, em caso do não cumprimento de todas as regras do auxílio, o beneficiário perde o acesso ao mesmo, ainda que tenha recebido todas as parcelas anteriores.

Veja ainda: Quando e como sacar a 7ª parcela do Bolsa Família

 

Carregando comentários aguarde...
...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais

Política de Privacidade e Cookies