Decreto do Governo zera IOF até o fim de 2020; entenda o impacto da medida

Contratos de empréstimos e outras operações financeiras ficam mais baratos de 15 a 31 de dezembro

Anúncio


O Imposto sobre Operações Financeiras, Câmbio e Seguros, ou relativas a Títulos ou Valores Imobiliários, foi novamente zerado nesta última semana. Através de Decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e pelo ministro Paulo Guedes, o governo zera IOF até o final de dezembro de 2020. Confira tudo hoje (19/12).

Continua depois da publicidade

Por se tratar de um imposto federal, é de competência da União definir qual será a porcentagem da alíquota a ser cobrada sobre as operações de crédito em questão, assim como instituir, reduzir ou até mesmo zerar a cobrança.

É assim que tem sido feito desde o mês de abril. O IOF zerado é visto pelo governo federal como uma das medidas que servem para amenizar o impacto financeiro que é gerado por conta da pandemia de coronavírus no país.

Continua depois da publicidade
Governo zera IOF até o fim de 2020; entenda o impacto da medida
Governo zera IOF até o fim de 2020; entenda o impacto da medida (Foto: Isac Nóbrega/PR)

Em novembro, a cobrança havia voltado a acontecer por conta da crise energética sofrida pelo estado do Amapá. Assim, a arrecadação do imposto durante o período de 26 de novembro a 14 de dezembro serviram para compensar os gastos da União com o auxílio à população amapaense durante o período.

Continua depois da publicidade

Passado o momento de crise, com o reestabelecimento da geração e distribuição de energia para o Amapá, o governo retomou a novamente a medida de manter a alíquota do IOF zerada como forma de diminuir impactos da Covid-19 na economia brasileira.

Leia mais: PEAC maquininhas Banco Inter é opção de empréstimo para MEI e pequenas empresas

Governo zera IOF até o fim de 2020

Em nota divulgada pela Secretaria-Geral do Governo Federal, é afirmado que o Decreto entrou em vigor no dia 15 de dezembro, ou seja, desde a última terça-feira, e não há necessidade de ser aprovado pelo Congresso Nacional.

Além disso, a publicação oficial do governo garante que a medida vai beneficiar operações de crédito realizadas tanto por pessoas físicas, jurídicas e micro e pequenas empresas até o dia 31 de dezembro deste ano.

A alíquota do IOF zerada promete beneficiar tomadores de empréstimo, pois garante a redução do custo de crédito para todos os grupos citados acima.

Aplica-se tanto em relação IOF sobre as operações de crédito, assim como também em relação à alíquota adicional de 0,38% ao ano que são aplicadas nos contratos de empréstimos.

Quando está em vigor, o imposto é de no mínimo 3% independentemente do prazo definido pelo contratante do empréstimo para efetuar o pagamento total da dívida. Já os 0,38% são cobrados por cada ano de contrato.

Leia também: Banco Safra oferece empréstimo para MEI via WhatsApp: real ou golpe? Entenda

Decisão de zerar imposto já foi ampliada três vezes em 2020

O primeiro Decreto do presidente Jair Bolsonaro para zerar o Imposto sobre Operações Financeiras aconteceu no dia 1º de abril de 2020, quando a pandemia ainda estava no início e se caminhava para um estágio de pico nos meses seguintes.

O impacto da crise econômica nos cofres de empresas de todos os portes, além do bolso dos cidadãos, foi o principal motivo pelo qual a equipe do ministério da Economia tomou a decisão de cortar a alíquota do IOF.

Inicialmente prevista para durar apenas três meses, a medida de manter o IOF zerado precisou ser ampliada já no mês de julho, quando a pandemia continuava causando impactos fortes na economia. Nesta ocasião, a extensão foi até outubro.

Novamente, o Decreto foi ampliado até o fim de dezembro. Precisou ser interrompido durante a crise no Amapá, e retomou sua validade nesta semana.

Com isso, vigora até o fim do período de estado de calamidade pública. Ou seja, até 31 de dezembro de 2020.

Leia ainda: Empréstimo Banrisul pode ser solicitado 24h e com taxas de juros baixas

Carregando comentários aguarde...
...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais

Política de Privacidade e Cookies