Imposto sobre a cesta básica para aumentar o Bolsa Família? Entenda melhor

Governo poderia ter arrecadado mais de R$ 32 bilhões caso a isenção na cesta básica tivesse sido excluída ano passado

Anúncio


Mais de 13,5 milhões de famílias carentes são atendidas pelo Bolsa Família. O programa tem um orçamento próprio que destina os recursos mensais para os beneficiários. Contudo, recentemente, o imposto sobre a cesta básica para aumentar o Bolsa Família foi sugerido como forma de ampliar a atuação do programa. Saiba mais a respeito desse assunto aqui, no Go Folha, neste sábado (07/11).

Continua depois da publicidade
Imposto sobre a cesta básica para aumentar o Bolsa Família? Entenda melhor
Imposto sobre a cesta básica para aumentar o Bolsa Família? Entenda melhor – Imagem: Divulgação G1

A recomendação foi feita pelo tribunal administrativo responsável pelo julgamento das contas públicas, o TCU. Saiba, portanto, mais detalhes e o que pode mudar com relação ao Bolsa Família.

Leia também: Cadastro Único pela Internet: será que é possível? Entenda

Continua depois da publicidade

Imposto sobre a cesta básica para aumentar o Bolsa Família: do que se trata

O imposto sobre a cesta básica para aumentar o Bolsa Família pode significar a ampliação do programa, seja beneficiando mais pessoas ou aumentando o valor das parcelas para quem já é beneficiário ou, ainda, as duas ações.

Continua depois da publicidade

A sugestão foi feita pelo Tribunal de Contas da União, sob o argumento de que o Bolsa Família é mais eficiente do que os benefícios fiscais da cesta básica.

Desse modo, segundo dados do TCU de 2016, o Bolsa Família apresentou redução na desigualdade social de 1,7%, enquanto a isenção de impostos relativos à cesta básica, teve um percentual de apenas 0,1.

Portanto, segundo a análise dos ministros do TCU, com o fim da renúncia fiscal, o programa poderia ser ampliado.

Orçamento do Bolsa Família poderia ser maior

O orçamento para o Bolsa Família em 2019 era em torno de R$ 30 bilhões. Com este valor, o governo não consegue incluir mais beneficiários no programa, gerando uma filha imensa de solicitações.

Ainda segundo o TCU, o governo poderia ter arrecadado mais de R$ 32 bilhões caso a isenção na cesta básica tivesse sido excluída ano passado.

Desse modo, ainda não se sabe se o governo vai acatar a recomendação do tribunal para 2021.

Sendo assim, o programa continua funcionando nos mesmos moldes que vem acontecendo nos últimos meses: beneficiando boa parte dos participantes por meio do auxílio emergencial.

Calendário Bolsa Família novembro 2020 inicia no próximo dia 17

Segundo dados do Governo e da Dataprev, cerca de 95% dos beneficiários do Bolsa Família migraram automaticamente para o auxílio emergencial (pago desde abril e que será finalizado em dezembro).

No entanto, embora esse número tenha diminuído, pois diversos usuários perderam o acesso ao auxílio por deixarem de cumprir o regulamento, ainda continuam sendo atendidos pelo auxílio residual uma parcela considerável dos beneficiários do programa assistencialista.

Desse modo, como o recebimento de dois benefícios simultâneos é proibido por lei, o beneficiário tem acesso ao benefício de maior valor.

Tanto quem recebe o Bolsa Família normalmente, como quem está recebendo o auxílio residual no lugar do primeiro, têm as mesmas datas de pagamento, as quais são regidas pelo calendário regular do programa.

O calendário Bolsa Família novembro 2020, portanto, determina o pagamento da 8ª parcela do auxílio residual e o pagamento do próprio Bolsa Família nas seguintes datas:

  • Beneficiários com NIS final 1 – recebem dia 17/11 (terça-feira);
  • NIS final 2 – recebem dia 18/11 (quarta-feira);
  • 3 – recebem dia 19/11 (quinta-feira);
  • 4 – recebem dia 20/11 (sexta-feira);
  • 5 – recebem dia 23/11 (segunda-feira);
  • 6 – recebem dia 24/11 (terça-feira);
  • 7- recebem dia 25/11 (quarta-feira);
  • 8 – recebem dia 26/11 (quinta-feira);
  • 9 -recebem dia 27/11 (sexta-feira);
  • 0 – recebem dia 30/11 (segunda-feira).

Para verificar o Número de Identificação Social, portanto, basta ver a numeração impressa no cartão do benefício ou no Cartão Cidadão. Ela é composta por 11 dígitos e o último é o número que determinará a data do recebimento das parcelas mensais.

Confira ainda: Empréstimo do Bolsa Família: Todos os beneficiários podem fazer?

Carregando comentários aguarde...
...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais

Política de Privacidade e Cookies