O que é auxílio residual e quem tem direito? Entenda aqui em detalhes

Recurso foi instituído por Medida Provisória ainda no mês de setembro

Anúncio


O auxílio residual foi instituído pela Medida Provisória 1.000/2020, editada pelo presidente Jair Bolsonaro no início de setembro. Com esse ato, foram confirmadas mais quatro parcelas do benefício emergencial contra o coronavírus.

Continua depois da publicidade

Devido ao termo utilizado para a edição da MP, passou a existir uma série de dúvidas sobre se este seria um novo tipo de auxílio, que tem sido chamado de extensão e de residual. Explicaremos, portanto, nesta segunda-feira, 19 de outubro, do que se trata e quem possui direito a receber este benefício.

Leia mais: Bolsonaro confirma mudanças na CNH ao sancionar Lei; entenda

Continua depois da publicidade
O que é auxílio residual
O que é auxílio residual

Então, o que é auxílio residual?

Nada mais é do que o próprio auxílio emergencial. Como descrito no texto da Medida Provisória, é chamado de residual por se tratar das quatro últimas parcelas do benefício destinado aos trabalhadores informais, desempregados e microempreendedores individuais (MEIs).

Continua depois da publicidade

São as parcelas de número 6, 7, 8 e 9. Todas elas com valor de R$ 300 por cota, entre os meses de setembro a dezembro.

É chamado de residual também por se tratar de um valor menor, pago para auxiliar os beneficiários que vinham recebendo cotas mensais de R$ 600 do governo federal.

Sendo assim, não se trata de um novo auxílio. Apenas é a extensão pelos quatro últimos meses do benefício emergencial iniciado em abril.

Leia também: Por que meu auxílio emergencial não caiu na conta digital? Saiba aqui

Até quando e como será pago o auxílio residual?

A MP 1000/2020 institui que todas as quatro parcelas da extensão do auxílio emergencial sejam pagas até o final do mês de dezembro deste ano.

Isso porque o governo federal não tem nenhum planejamento de continuar com o benefício no ano de 2021.

Na explicação da ementa da MP, a posição do governo é deixada clara:

“Institui, até 31 de dezembro de 2020, o auxílio emergencial residual a ser pago em até quatro parcelas mensais no valor de R$ 300,00 (trezentos reais)”.

Ou seja, o auxílio vai ser finalizado até o fim deste ano independentemente do número de parcelas que um beneficiário ainda tem a receber até dezembro.

Conforme o calendário divulgado pela Caixa Econômica Federal, os últimos aprovados, no mês de julho, vão receber as quatro parcelas do auxílio residual divididas em dois pagamentos em dezembro.

Quem tem direito?

A Medida Provisória também afirma, que não é necessário nenhum tipo de cadastro para ter direito ao auxílio residual nos meses de setembro a dezembro.

O público-alvo é o mesmo que já vinha recebendo o auxílio emergencial nas cinco primeiras parcelas. Contudo, existem algumas exceções a serem feitas.

Os cidadãos anteriormente aprovados e que não estão mais cumprindo os requisitos da Lei do auxílio emergencial vão ter o benefício suspenso.

Como por exemplo, quem passou a trabalhar com carteira assinada após ter sido aprovado no auxílio, assim como quem passou a ter renda familiar mensal acima de três salários mínimos.

Neste caso, a DataPrev vai continuar fazendo análises dos mais de 64 milhões de cadastros inicialmente aprovados e dar sequência somente a quem continuar fazendo parte dos requisitos.

“A parcela do auxílio emergencial residual será paga, independentemente de requerimento, de forma subsequente à última parcela recebida do auxílio emergencial de que trata a Lei nº 13.982, de 2020, desde que o beneficiário atenda aos requisitos estabelecidos nesta Medida Provisória”, afirma a presidência da República.

Leia ainda: Vai sair o pagamento da 6ª parcela do auxílio emergencial a nascidos em agosto; saiba mais

Carregando comentários aguarde...
...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais

Política de Privacidade e Cookies