Prorrogação do auxílio emergencial em 2021 deve acontecer; entenda

Isso acontecerá se o Brasil sofrer uma segunda onda de contaminação da Covid-19, assim como alguns dos principais países da Europa

Anúncio


Com a proximidade do final de 2020, a dúvida sobre a prorrogação do auxílio emergencial em 2021 já circula pela Internet há vários meses. Inclusive nesta quinta-feira (12) as buscam ainda seguem altas.

Continua depois da publicidade

Inicialmente, o auxílio emergencial foi criado pelo governo federal para permanecer em vigor durante um período máximo de três meses, com parcelas de R$ 600 cada – e valor dobrado para mães que se autodeclararem solteiras.

Prorrogação do auxílio emergencial em 2021 é possível de acontecer; entenda
Prorrogação do auxílio emergencial em 2021 é possível de acontecer; entenda (Foto: Divulgação / PR)

Pouco tempo depois, o avanço da pandemia de coronavírus no país obrigou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ampliasse o benefício por mais dois meses com os mesmos valores.

Continua depois da publicidade

Em setembro, o presidente da República e sua equipe econômica anunciaram mais quatro parcelas, do benefício provisório de transferência de renda. Mas o valor, por sua vez, foi reduzido em 50%.

Continua depois da publicidade

Com prazo para ser encerrado em dezembro deste ano, a expectativa fica por conta do próximo ano. E existe uma possibilidade de prorrogação do benefício por mais tempo.

Leia mais: Entenda como contestar o auxílio emergencial pela Internet

Prorrogação do auxílio emergencial em 2021 é possível de acontecer

A afirmação foi feita pelo líder da equipe econômica do governo Bolsonaro. Segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, existe um cenário em que o auxílio emergencial pode ser pago em 2021.

Isso acontecerá se o Brasil sofrer uma segunda onda de contaminação da Covid-19, assim como alguns dos principais países da Europa atualmente estão passando.

Em teleconferência com a agência Bloomberg, Guedes afirmou que o governo já possui todos os mecanismos preparados para retornar com o auxílio em 2019, se houver a segunda onda.

“Deixamos bem claro para todo mundo: se houver uma segunda onda no Brasil, temos já os mecanismos. Digitalizamos 64 milhões de brasileiros. Sabemos quem são, onde estão e o que eles precisam para sobreviver”.

Leia também: Quem recebe pensão por morte tem direito ao auxílio emergencial? Entenda aqui

Gastos seriam menores com o auxílio emergencial em 2021

Ainda segundo Paulo Guedes, a possibilidade de prorrogação do benefício em 2021 não causaria o mesmo impacto financeiro que aconteceu neste ano.

O ministro acredita que o Brasil conseguiria lidar com uma segunda onda utilizando menos recursos por já ter conhecimento sobre o assunto.

“Se uma segunda onda nos atingir, aí iremos aumentar mais (os gastos). Em vez de 8% do PIB, provavelmente usaremos desta vez metade disso. Porque podemos filtrar os excessos e certamente usar valores menores”.

Auxílio emergencial em 2020

Ao todo, o Ministério da Cidadania e a Caixa Econômica Federal contabilizam que mais de 67 milhões de brasileiros foram beneficiados com pelo menos uma das parcelas do auxílio emergencial instituído pela Lei 13.982, de 2 de abril de 2020.

O programa emergencial de transferência de renda é voltado para o público de baixa renda, que façam parte dos critérios estabelecidos pela Lei. Como por exemplo, fazer parte de uma família com ganhos de até 3 salários mínimos por mês.

O benefício é dividido em cinco parcelas de R$ 600 (sendo R$ 1.200 para mães solteiras) e o auxílio residual.

É chamado de residual o pacote de R$ 1.200 pago nas últimas parcelas do auxílio emergencial.

Esse valor pode ser dividido em quatro parcelas de R$ 300, cada uma, ou até mesmo em uma parcela de R$ 1.200. Depende do que informa o calendário para cada grupo de beneficiários.

Leia ainda: TCU divulga lista de candidatos que receberam auxílio emergencial sem ter direito

Carregando comentários aguarde...
...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais

Política de Privacidade e Cookies