Redução do auxílio e mudanças no Bolsa Família; veja o que esperar

João Roma (Republicanos-BA) detalha o assunto

Anúncio


O auxílio emergencial está de volta para a população, mas com valores que não condizem com a realidade brasileira em 2021, na opinião de especialistas e dos próprios cidadãos. Afinal, por que houve uma redução tão drásticas em relação ao que era pago em 2020? Confira, hoje (28/03), a explicação por parte do ministro da Cidadania sobre o assunto, e, ainda, detalhes sobre o futuro do Bolsa Família.

Continua depois da publicidade

Mudança nos valores de 2020 para o auxílio emergencial de 2021 e mudanças no Bolsa Família

Ao longo do ano de 2020, o auxílio foi pago em nove parcelas para quem recebeu a primeira no mês de abril – que foi quando houve o início dos pagamentos.

Nas cinco primeiras parcelas do benefício que visa atenuar a crise financeira gerada pela pandemia, o valor era de R$ 600, com R$ 1.200 para mães solteiras. Nos últimos quatro meses, houve redução de 50% tanto para famílias biparentais e pessoas que moram só, mas também para mulheres que comandam famílias.

Continua depois da publicidade
Auxílio e  mudanças no Bolsa Família
Ministro da Cidadania explica valor do auxílio e promete mudanças no Bolsa Família (Foto: Agência Câmara)

Já nesta nova rodada de pagamentos do auxílio, em meio ao pior momento da pandemia de Covid-19 no Brasil, os valores não chegam nem perto do que foram no ano passado, mesmo quando os números provenientes do coronavírus estavam em estágio baixo.

Continua depois da publicidade

Em 2021, mãe solteiras vão receber R$ 375; quem mora só, receberá R$ 150; e famílias biparentais receberão R$ 250.

Por que houve redução? Ministro da Cidadania explica

Em audiência na Câmara dos Deputados, o ministro da Cidadania, João Roma (Republicanos-BA), comentou sobre as reduções no número de cidadãos aptos a receber o benefício em 2021, bem como o teto estimado para viabilizar todas as parcelas do auxílio emergencial neste ano.

“No ano de 2020, foi viabilizado o Auxílio Emergencial superando R$ 294 bilhões. Todos sabem bem que o valor final daquele Auxílio, assim como tivemos uma PEC agora, naquele momento seria de R$ 500 e o próprio presidente Bolsonaro pediu que fosse R$ 600. Naquele momento foi o que foi possível viabilizar. Neste ano, o que o Congresso disponibilizou foram R$ 44 bilhões. Poderíamos diminuir a quantidade de parcelas e o valor ficaria mais palatável para a comunicação. Mas esse momento é de serenidade e de estarmos juntos a esses brasileiros, não só com o Auxílio Emergencial, mas com todas as políticas publicas para minimizar o sofrimento das pessoas”.

Ministro da Cidadania também sinaliza para mudanças no Bolsa Família após o auxílio emergencial

Desde 2020, o governo federal, em conjunto com sua equipe econômica e o ministério da Cidadania, trabalham com o projeto de reformulação do atual programa de transferência de renda: o Bolsa Família.

Nomes do possível sucessor do Bolsa Família já foram vazados, projetos já foram descartados publicamente pelo presidente Jair Bolsonaro, mas o assunto não foi esquecido.

João Roma garante que o governo está trabalhando com o intuito de promover reformulação no programa.

“Sou um grande entusiasta da renda básica e precisamos encontrar mecanismos para o Estado avançar nessa política salutar para os brasileiros. Eu faço questão de tratar com o Congresso a reformulação do Bolsa Família e exaurir o tema, pois qualquer mudança passará por aqui. É importante compreendermos que passamos por um período de dificuldade e temos que dar respostas urgentes, especialmente aos mais necessitados”.

Bolsa Família bloqueado no aplicativo entenda o que mensagem significa

Diversos usuários utilizam o meio digital para ter acesso às informações sobre os benefícios que recebem. Desse modo, se você recebeu a mensagem do Bolsa Família bloqueado no aplicativo, saiba como proceder.

 

Carregando comentários aguarde...
...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais

Política de Privacidade e Cookies