Você já ouviu falar em salário-esposa? Entenda

Benefício foi suspenso pela Justiça e era pago às mulheres de servidores públicos

Anúncio


Você já ouviu falar em salário-esposa? Não? Mas saiba que ele existe. Hoje (25) nós te explicamos aqui, que esse benefício trata-se de um recurso pago a servidores públicos no estado de São Paulo, mas que é alvo de investigação e de denúncia por parte do Ministério Público de Contas.

Continua depois da publicidade

Segundo o levantamento feito em investigação, cerca de R$ 5 milhões foram gastos apenas com esse benefício entre o período de janeiro de 2017 a agosto de 2019.

Em meio aos apontamentos do órgão público, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo decidiu, com uma liminar, pela suspensão do abono salarial distribuído em municípios paulistas desde a década de 1990.

Continua depois da publicidade
Você já ouviu falar em salário-esposa? Entenda
Você já ouviu falar em salário-esposa? Entenda

Leia mais: CNH Gratuita É Possibilidade Dependendo Da Renda; Saiba Mais

Continua depois da publicidade

Mais detalhes sobre o salário-esposa e sua suspensão

O benefício era pago às mulheres de servidores públicos de dezenas de municípios do estado de São Paulo. Ele correspondia a 5% do salário mínimo e vinha sendo pago desde 1991, com base em uma Lei municipal de Sorocaba.

Contudo, após a fiscalização feita pelo MP de contas, foi constatado que 128 cidades de São Paulo estavam utilizando esse recurso indevidamente.

O benefício havia sido instituído pelo Estatuto dos Servidores Públicos de Sorocaba. Porém, o TJ-SP julgou como inconstitucional trechos da Lei 3.800/91, acatando, assim, o pedido da Procuradoria Geral da Justiça do estado.

Os trechos da Lei sancionada em 1991 foram considerados como ilegais, por infringirem princípios de igualdade, moralidade e proporcionalidade. Assim é mostrado na decisão liminar do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

Leia também: Aplicativo Para Encontrar Pessoas Desaparecidas É Criado; Conheça

Prefeitura e Câmara de Sorocaba não vão recorrer da decisão

O caso mais grave foi identificado justamente na cidade de Sorocaba, onde o benefício gerou despesa aos cofres públicos em mais de R$ 566 mil somente em 2019.

Leia ainda: Veja Como Emitir Boletos E Evite Pagar MEI Atrasado Com Multas

Em nota oficial, a Prefeitura de Sorocaba afirmou que não irá recorrer da decisão do TJ-SP. Assim como a Câmara de Sorocaba não fará.

Carregando comentários aguarde...
...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais

Política de Privacidade e Cookies