Looks like you have blocked notifications!

Mandy: Sede de Vingança é um filme de suspense da Netflix que premiou Nicholas Cage; confira

O filme de terror é surpreendente e traz várias referências dos anos 80

-- Continuar depois da publicidade --

Para esta quarta-feira, 23/12, a coluna Filmes e Cinema do Folha Go traz uma indicação de filme de suspense da Netflix. Assim, se você curte o gênero, vai gostar de conhecer a produção Mandy, estrelada pelo hollywoodiano Nicholas Cage. Ele está completamente insano neste longa de 2018. 

Portanto, veja também: Todos os Mortos: assista ao trailer do terror nacional em cartaz nos cinemas

-- Continuar depois da publicidade --

O ator hollywoodiano Nicolas Gage entregou uma grande atuação no longa "Mandy" de 2018
O ator hollywoodiano Nicolas Gage entregou uma grande atuação no longa “Mandy” de 2018 – Foto: Netflix

A carreira de Nicholas Cage é contraditória, uma vez que o seu trabalho nos cinema foi dividido entre sucessos e fracassos. Além disso, a crítica não perdoa, quando ele entregou grandes atuações e depois esteve em produções que foram duramente malditas pelos especialistas. Por isso, selecionamos este filme, que por sua vez, mostra uma grande atuação de Cage.

Mandy

O filme Mandy, ao contrário dos últimos filmes de Cage, recebeu muitos elogios. Sua interpretação rendeu o prêmio Fangoria Chainsaw para ator.

A produção, dirigida pelo cineasta Panos Cosmatos, mostra a vida tranquila de um casal que vive em uma floresta. Contudo, essa tranquilidade é destruída por conta de uma seita religiosa que realiza um massacre. 

Dessa forma, Red Miller (Nicholas Cage) começa uma jornada para buscar vingança, já que sua esposa, Mandy, foi parar nesta seita. Para quem gosta de suspense, terror, ação e muito drama, este filme consegue entregar tudo isso e mais um pouco.

Afinal, Cage teve uma interpretação incrível, na qual o seu personagem vai até às últimas consequências para completar a sua vingança. Contudo, para a crítica, este filme surpreendeu por mostrar um terror um pouco diferente.

Ele exibe uma atmosfera bastante sufocante, ao contrário de muitas produções. Dessa maneira, para quem gosta de longas com uma narrativa mais ativa, pode ficar um pouco incomodado, uma vez que ele tem, de início, uma lentidão.

-- Continuar depois da publicidade --

Entretanto, Mandy busca várias referências em filmes de terror dos anos 80, e tem um estilo de trash, que não agrada a todos. Além disso, a trama segue também com uma linha meio psicodélica, deixando o público muitas vezes intrigado. 

Portanto, leia também: The Mandalorian: estreia do Disney+ está fazendo o maior sucesso; veja só

Nicholas Cage

A carreira de Nicholas Cage no cinema é dividida entre elogios e criticas
A carreira de Nicholas Cage no cinema é dividida entre elogios e criticas – Foto: UPI/Phil McCarten

Para quem gosta do ator, a Netflix disponibiliza em seu catálogo, outros filmes do astro.  Por exemplo, Eu, Deus e Bin Laden (2016), Motoqueiro Fantasma (2007), Joe (2013), The Trust (2015) e Vingança ao Anoitecer (2014). 

Este grande astro de Hollywood iniciou a sua carreira no filme Picardias Estudantis (1982). Nele, Nicholas usava o sobrenome Coppola. No entanto, foi apenas em 1983 que ele trocou de sobrenome, e passou a usar o que conhecemos: Cage. 

Sendo assim, ele atuou em dois filmes de seu tio Francis Coppola, Cotton Club (1984) e Peggy Sue – Seu Passado a Espera (1986). Na década de 80, foi a época de Nicholas Cage, pois ele emplacou grandes filmes e recebeu muitos elogios. 

Dentre estas grandes produções estavam Asas da Liberdade (1984), do diretor  Alan Parker, Arizona Nunca Mais(1987), dirigido por Ethan e  Joel Coen, e O Beijo do Vampiro (1989). Dessa forma, embalado com os filmes, ele iniciou os anos 90 com Coração Selvagem (1990), de David Lync. 

E então? Você gosta do gênero terror? Vai animar assistir Mandy, esse filme de suspense da Netflix? Comente!

Sendo assim, leia também: On My Block: por que você deve assistir essa série da Netflix?

Looks like you have blocked notifications!

-- Continuar depois da publicidade --

Comments
Loading...