Looks like you have blocked notifications!

Cresce a confiança no Agronegócio neste 3º Trimestre

-- Continuar depois da publicidade --

O indicador foi divulgado pela Fiesp, chegando a uma meta qualificada de 127 pontos entre os meses de Julho e Setembro. Porém, com a chegada de uma possível segunda onda da COVID-19, acredita-se que essa pontuação possa subir, sendo necessário aproveitar a confiança no Agronegócio que foi demonstrada durante os últimos meses do ano.

Entenda: Agronegócio você sabe o que é?

-- Continuar depois da publicidade --

O Índice Agro é analisado pela ICAgro. A alta deste trimestre foi de mais de 15 pontos percentuais, muito em vista da melhora da retomada econômica do país por conta do achatamento da curva na pandemia.

Foto de produção de soja em Mato Grosso: Foto: Divulgação
Foto de produção de soja em Mato Grosso: Foto: Divulgação

Resultado do índice veio de entrevistas

As entrevistas para tomar como base os resultados aconteceram em setembro. Naquele momento, não se acreditava que haveria uma chance de segunda onda para a COVID-19, porém, atualmente, os especialistas do setor Agro acreditam que isso pode mudar.

Brinquedos recicláveis fáceis de fazer: confira 5 dicas para economizar

Quem também manteve uma curva em alta foram as indústrias do Agronegócio, com uma incrível alta de 13,8 para 122,9 pontos. A confiança também se vê em parte dos insumos agrícolas, que teve um aumento em sua produção pelo terceiro trimestre consecutivo. O diretor da Croplife Brasil, Christian Lohbauer, deu a sua declaração sobre o momento vivido:

-- Continuar depois da publicidade --

As relações de troca por insumos estavam em bons patamares para os produtores rurais, estimulando a negociação antecipada de fertilizantes e de parte dos defensivos não só para a safra atual e o que também se espera para a próxima temporada.

Agronegócio é fundamental para a vida do brasileiro

As exportações desse setor são extremamente importantes para dar à população um destino financeiro melhor e ter um rendimento cada vez maior, ainda mais com o agravamento do índice do IPCA neste ano.

Grande parte da produção do agronegócio não fica aqui no Brasil, é exportada. Somente no último mês de outubro, 72% da produção de grãos foi exportada e somou na safra um considerável valor de 6,1 milhões de toneladas. Na casa do milho, os valores também não ficam abaixo: os embarques tributários são menores do que a soja, porém a exportação é de apenas 3% em comparação ao outro alimento.

Os produtos do Agronegócio Brasileiro são enviados para 172 países

O Agronegócio em estados como Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e Paraná são alguns dos mais importantes em relação a exportação de insumos do Brasil para o estrangeiro. Os principais produtos são o café ( U$ 3,5 bilhões), Soja (U$ 1,44 bilhão) e Carne (U$ 1 bilhão).

Minas Gerais, entre os estados destacados, é o que se apresenta como o maior exportador entre todos os insumos (U$ 2,79 bilhões) com destaque para o Triângulo Mineiro que conta com mais de metade dessa arrecadação.

A China, durante o ano de 2019, foi o principal parceiro comercial do Brasil, no entanto, foi afetada esse ano por conta das divergências com Governo Bolsonaro que acabou ameaçando a soberania do Brasil em relação aos Estados Unidos, quanto a escolha, por parte dos chineses, na hora de importar produtos agrícolas.

Looks like you have blocked notifications!

-- Continuar depois da publicidade --

Comments
Loading...