Avião que caiu com Marília Mendonça tinha denúncias de irregularidades ‘problemas no para-brisa’

MPF havia denunciado empresa a Anac cobrando providências: " problemas no para-brisa desde o início do ano" e "o vidro fica embaçado com prejuízo visual em pousos e decolagens"

De acordo com informação veiculada no site da CNN, divulgadas nesta sexta-feira, 05, o MPF do Estado de Goias, cobrou da Anac providências por irregularidades na empresa PEC Taxi Aéreo, dona do avião que caiu com Marília Mendonça.

No documento, uma espécie de manifesto da Procuradoria, a entidade cobrava esclarecimentos sobre uma denúncia contra a empresa, envolvendo a aeronave com prefixo PT-ONJ, que caiu com a cantora.

-- Continuar depois da publicidade --

Avião da PEC Taxi Aéreo colecionava denuncias graves

Avião que caiu com Marília Mendonça denuncias de irregularides - Imagem - Reprodução
Avião que caiu com Marília Mendonça denuncias de irregularides – Imagem – Reprodução

O documento solicita ao órgão que se manifestasse sobre a omissão em fiscalizar irregularidades da empresa de taxi aéreo envolvida na queda, contendo cobranças por inúmeras irregularidades.

Entre as irregularidades citadas estão algumas que poderiam comprometer, por exemplo, a visibilidade do piloto no momento da preparação para um pouso ou decolagem.

“A aeronave com prefixo PT-ONJ está desde o início do ano realizando voos com problemas no para-brisa, ocorrendo que o vidro fica embaçado com prejuízo visual em pousos e decolagens, fato conhecido pela empresa, porém ignorado, já denunciado à ANAC, porém sem vistoria feita”

A irregulridade tem alta relevância, pois, como informado pela CEMIG – Companhia Energética de Minas Gerais, que afirmou na noite desta sexta-feira (5/11), que o avião teria atingido fios de alta tensão da empresa antes do acidente.

Além dessa irregularidade, ainda estão no documento outras denúncias, como a alegação de desrespeito a jornada de trabalho e descanso da tripulação, pilotos com jornada de voo estourada, e outras  fora das normas ideais de segurança

O documento vem assinado pelo Procurador da República Marcello Santiago Wolff, e foi enviado em 14 de junho e o Ministério Público Federal, dando 20 dias à Anac para prestar esclarecimentos.

Anac afirma que aeronave envolvida no acidente estava em dia

-- Continuar depois da publicidade --

Em nota, a Anac afirmou que o avião estava com o Certificado de Verificação de Aeronavegabilidade válido até 1º de julho de 2022 e que a empresa tinha autorização para operar táxi-aéreo.

As investigações sobre as causas do acidente serão realizadas pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticas (Cenipa), do Comando da Aeronáutica. A Agência acompanha as investigações que estão em curso e se mantém à disposição.”

Confira a lista de irregularidades que pesam contra a PEC Taxi Aéreo

Veja na copia fiel do documento, a descrição da denúncia do ministério publico do estado de Goiás envolvendo a empresa PEC Taxi Aéreo feita em 03/05/2021.

A empresa acumula irregularidades que coloca em risco tripulantes e passageiros, mesmo diante de denúncias repetidas à ANAC, a empresa nunca passou por auditoria a fim de serem averiguadas as irregularidades.

  1. É recorrente que a empresa coloque pilotos com jornada de voo estourada para voar, lançando mão do código da ANAC de outro piloto com hora voo liberada, fato presenciado em diversos voos tanto executivos quanto aeromédico na empresa;
  2. A empresa não respeita a regulamentação de que, em caso de pernoite, cada tripulante deve ter seu quarto individual, submetendo o funcionário à divisão de quartos; bem como deixa claro à coordenação de voos para não escalar mulher para voo com pernoite a fim de não ter custo com quarto separado, o que configura discriminação de gênero;
  3. A instalação da maca, fiação elétrica e cabeamento de oxigênio destinados ao aeromédico são precárias e fora das normas ideais de segurança; bem como a limpeza da aeronave deixa a desejar,sendo agravante em momento de pandemia e com transporte frequente de pacientes COVID;
  4. A empresa não respeita a folga social dos pilotos; 5) Diferentes fontes afirmam que a PEC usou de meios ilícitos para ser contemplada em licitações junto ao Estado de Rondônia e Roraima, bem como possui meios ilícitos de burlar a ocorrência de auditorias e vistorias da ANAC;
  5. A aeronave com prefixo PT-ONJ está desde o início do ano realizando voos com problemas no para-brisa, ocorrendo que o vidro fica embaçado com prejuízo visual em pousos e decolagens, fato conhecido pela empresa, porém ignorado, já denunciado à ANAC, porém sem vistoria feita;

Outras vítimas fatais no acidente com avião de Marília Mendonça

Além da cantora Marília Mendonça que morreu vítima do acidente de avião em Minas Gerais, mais quatro pessoas também morreram.

Entre eles estão Abicieli Silveira Dias Filho, tio e assessor da cantora e o produtor Henrique Ribeiro.

O piloto foi identificado como sendo Geraldo Martins de Medeiros e o copiloto foi identificado como Tarciso Pessoa Viana.

-- Continuar depois da publicidade --

Comments
Loading...