Bitcoin: Derretimento de 38% e o “suporte final”

É possível ter uma perspectiva otimista para 2021?

Bitcoin: Moeda em meio a indicadores de volume
0

Não faz muito tempo desde que o Bitcoin atingiu sua máxima histórica. Mas faz menos tempo ainda desde que esse ativo começou a derreter.

E essa sincronia entre valorização e baixa não é por acaso.

É claro que ao entrar no mercado deve-se saber o mínimo sobre oferta e demanda.

Mas só que existem coisas mais importantes do que isso para fundamentar uma boa carteira.

Por isso, caso os leitores estejam desligados do mercado trilhionário de criptomoedas é interessante que usem a ferramenta informativa do investidor lucrativo, a Folha Go Cripto.

Dessa forma fica mais fácil de embolsar aquela parte do mercado que pertence a cada bom investidor.

Bitcoin
Bitcoin: Moeda em meio a indicadores de volume

42.000 dólares: o último suporte antes da queda

E agora, José? A festa acabou, o candle derreteu, o volume avermelhou, o bolso esfriou… E agora, José?  Do dia 4 de dezembro até o momento em que esse artigo é redigido, ao todo o Bitcoin desvalorizou quase 40%.

E isso o levou a atingir um suporte muito importante para que todos saibam se o tão falado Inverno Cripto está em eminência. Tratam-se dos 42 mil dólares, preço esse que já serviu de suporte numa antiga queda do ativo.

Essa última liquidação gerou nada mais nada menos do que um déficit de 2.52 bilhões de dólares. Mas, apesar do título dessa matéria, vale frisar que essa liquidação nem se aproxima do valor do mercado trilhionário de criptomoedas como um todo.

Por isso, é importante dizer que o pânico é o refúgio do mau investidor. Visto isso, agora é hora de reavaliar o cenário como um todo. Afinal, o que acontece no mercado pode ser interpretado positivamente e negativamente. E aqui está o ponto positivo dessa ultima grande queda para os holders  : as operações alavancadas, tendem a diminuir. E isso é ótimo para a estabilidade dos preços dos ativos.

O ponto negativo é que muitos acabaram tendo seus ganhos, principalmente de outubro, liquidados.

Enfim, voltando os olhos para o aspecto positivo da situação, a diminuição da alavancagem traz novos ares para quem temia correções profundas, pelo menos como as que ocorreram nos últimos dias.

Claro, não é possível simplesmente descartar o fato de que o mercado pode enfrentar instabilidades com a reunião do dia 14 de dezembro que acontecerá no FED. Para aqueles que não sabem, essa reunião, que acontecerá nos EUA, pode modificar a taxa de juros de uma maneira que afeta o Bitcoin e, consequentemente, todo o mercado de criptoativos.

Por isso, o ideal é ficar sempre ligado nas notícias do Folha Go e proteger seu capital com as melhores informações sobre o mercado!

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.