Obesidade em pets não é sinal de saúde: alerta especialista

A orientação de um médico veterinário no que se refere à alimentação do seu animalzinho de estimação pode ajudar no controle do peso

Obesidade em pets. Você sabia que a Organização Mundial de Saúde (OMS) considera a obesidade uma doença? Estudos mostram que ela é a principal causa da morte de mais de 2,8 milhões de pessoas ao ano, um número alarmante, concorda? Mas ainda assim, ela também acomete os nossos pets, e é sobre isso que vou falar mais. Confira na matéria exclusiva da Dra. Bruna para o Blog dos Pets.

 

Obesidade em pets

Pet gordinho
Pet gordinho NÃO é sinal de saúde Foto – Pixabay

Falando dos nossos queridos pets, pesquisas apontam que existe uma correlação entre a obesidade dos tutores e o excesso de peso dos respectivos animais de estimação. Podemos definir a obesidade como um acúmulo excessivo de tecido adiposo no organismo do animal, ao ponto de – algumas vezes – comprometer até mesmo as suas atividades fisiológicas.

São vários os fatores que contribuem para a obesidade dos pets, sendo os mais comuns aqueles relacionados às condições genéticas do animal, à sua raça, à falta de atividade física, ao sedentarismo e à oferta exagerada de comida.

Quando vemos uma pessoa “gordinha” é comum pensarmos em doenças que ela poderá vir a desenvolver. Porém, ao vermos um pet “gordinho” normalmente o que se diz é: “Olha como ele é fofinho!!!”. Mas não é tão bonito assim para a sua saúde.

Aproveite e leia também:

Animais obesos não são saudáveis?

obesidade
É importante ficar atendo a saúde dos animais. Foto – Pixabay

O nosso pensamento em relação aos animais deveria ser o mesmo que possuímos com os seres humanos, ou seja: animais obesos não são saudáveis!

Nesse sentido, a obesidade, tanto em cães como em gatos, está associada a uma série de comorbidades, tais como distúrbios locomotores, endócrinos, metabólicos, cardíacos, respiratórios, reprodutivos, podendo inclusive dar causa ao surgimento de tumores.

Como se diz por aí: “equilíbrio é tudo na vida”! Bem, na vida dos nossos pets também é assim! Assim sendo, a fórmula ideal para a boa saúde do pet alia uma dieta balanceada (e de boa qualidade) e a prática regular de exercícios físicos.

Se o tutor estiver bem orientado e consciente do seu papel fundamental na vida do pet, o nosso amiguinho dificilmente terá problemas com o excesso de peso.

Como controlar obesidade em pets

Obesidade
Obesidade em pets é sinal de alerta – Foto – Pixabay

Diante disso, é muito importante que o tutor busque a orientação de um médico veterinário no que se refere à alimentação do seu animalzinho de estimação. Você sabia que atualmente já há médicos veterinários especializados em nutrição pet?

Eles oferecem dietas personalizadas de acordo com a exigência do animal, bem como assessoria nutricional, caso se opte por uma dieta “caseira”. É muito importante salientar que as “sobras” do almoço ou da janta do tutor e da sua família não são alimentos adequados a cães e gatos, normalmente acarretando malefícios à saúde do animal.

Dicas da veterinária

Indica-se que optar por uma ração comercial (de boa qualidade, e não “a mais barata”), pois elas possuem a quantidade especifica de vitaminas, proteínas, macro e micro minerais que os pets necessitam.

Ademais, existe uma infinidade de petiscos no ramo pet… porém, eles devem ser administrados com cautela para que não contribuam com o sobrepeso dos animais. Ainda, há alguns tutores que têm o hábito de dar frutas para seus “amiguinhos”.

Claro, algumas delas não são contraindicadas a cães e gatos, tais como banana, pera, melão, maçã e melancia. Assim, deve-se frisar, porém, que se o animal ingere frutas ou petiscos a quantidade de ração ofertada deve ser menor durante o dia.

Por fim, importa referir que há rações específicas para cada faixa etária do animal, desde filhotes, adultos e até “sênior”, existindo também rações específicas para animais castrados.

Além disso, há também uma linha ampla de rações medicamentosas que podem contribuir para a reabilitação da saúde dos pets quando eles estão enfermos.

Mas, lembre-se: sempre que tiver dúvida sobre a alimentação do seu pet, converse com o seu médico veterinário. Ele vai saber lhe instruir para que o seu amiguinho receba a melhor dieta possível.

Para obter mais conteúdos siga o Folha Go no Google News. Quer se avisado de graça sobre os melhores conteúdos em primeira mão? Receba Nossas Notificações Aqui!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.