Documentos para sacar o FGTS após demissão: veja quais são e se organize

Dispensa sem justa causa permite resgate integral do Fundo de Garantia

Documentos para sacar o FGTS após demissão: Veja quais são e se organize - Foto: Canva Pro
0

Quem sofre dispensa sem justa causa tem o direito de sacar o saldo integral da conta de Fundo de Garantia. Além disso, também recebe a multa de 40%, paga pelo empregador, sobre o saldo dela. Veja hoje (30/08) quais são os documentos para sacar o FGTS após a demissão e se programe.

Cabe ressaltar que esses documentos e trâmites são válidos apenas para a dispensa sem justa causa e para o acordo de dispensa. Nesse segundo caso, o trabalhador recebe 20% de multa sobre o saldo da conta de Fundo de Garantia e pode sacar até 80% do montante total.

Por outro lado, quando o fim do contrato não se refere a essas modalidades, mas ao pedido de demissão ou dispensa por justa causa, não há direito de resgate imediato do FGTS. Assim, apesar do trabalhador não perder o dinheiro, somente pode sacá-lo futuramente, ao se enquadrar em alguma das modalidades.

Documentos para sacar o FGTS após demissão Confira qual a documentação para resgate do Fundo de Garantia na dispensa sem justa causa – Foto: Canva Pro
Quais são os documentos para sacar o FGTS após a demissão?
Primeiramente, é preciso que haja a geração da chave de identificação. Ela é que identifica que houve o rompimento do contrato em uma modalidade que permite o saque do Fundo de Garantia. Para isso, cabe ao empregador informar o ocorrido à Caixa Econômica. Depois, ele recebe a chave e repassa ao trabalhador.

Feito isso, o trabalhador pode simplesmente sacar o Fundo de Garantia pelo site ou aplicativo FGTS. Nesse caso, basta conceder dados para transferência bancária e ela ocorrerá em até 05 dias. Portanto, nesse caso, não é preciso apresentar documentos para sacar o FGTS após a demissão.

Por outro lado, os documentos são necessários em caso de saque presencial dos valores. Contudo, tanto o local quanto a documentação necessária variam de acordo com o valor de saque. Veja, então, como funciona em cada situação:

Até R$ 1.500: saque no caixa eletrônico da Caixa Econômica apenas com a senha do Cartão Cidadão; Resgate nas lotéricas ou correspondentes Caixa Aqui com documento oficial com foto, Cartão do Cidadão e senha dele;
Para valores entre R$ 1.500 e R$ 3.000: saque no caixa eletrônico CEF com Cartão do Cidadão e senha dele; Resgate nas lotéricas e correspondentes Caixa Aqui com documento oficial com foto, Cartão Cidadão e senha;
Saques superiores a R$ 3.000: resgate exclusivo no atendimento presencial na Caixa Econômica. Nesse caso, basta apresentar documentos de identidade com foto para sacar FGTS após demissão.

Guardar dinheiro no Banco Inter é seguro? (Veja opinião de usuários)
As fintechs estão fazendo um enorme sucesso entre os consumidores brasileiros, por oferecerem na maioria das vezes os mesmos serviços bancários que instituições financeiras tradicionais, mas de forma gratuita e sem burocracias.

No entanto, ainda restam dúvidas sobre algumas empresas. Por exemplo, será que o Banco Inter é seguro? Confira no vídeo abaixo!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informações