Inflação teve queda, mas o arroz continua caro; entenda o motivo

Os brasileiros estão aprendendo a substituir o cereal. Desde que começou a pandemia no Brasil, esse alimento aumentou o preço em cerca de 70%

-- Continuar depois da publicidade --

Top Stories Como cultivar boldo em casa? Tenha um excelente digestivo caseiro

- Advertisement -

Segundo informações relatadas pelo IPCA (Índice Nacional de Preços do Consumidor Amplo) em fevereiro deste ano, a inflação teve queda considerável em comparação ao que vem acontecendo nos últimos meses. Foram 1,52% a menos que o primeiro mês de 2021, mas mesmo assim o arroz continua caro em boa parte do Brasil. O Receitas Fáceis, do Folha Go, está atento, e vai comentar a respeito disso hoje, terça-feira, 23 de março.

Por que o arroz continua caro mesmo com a baixa na inflação?

No começo da pandemia, um dos alimentos que mais se destacou em termos de aumento de preço foi o arroz. A alegação para o ocorrido foi pelo fato de mais pessoas terem se isolado em casa, aumentando o consumo.

- Advertisement -

Com o dólar nas alturas, produtores “preferiram” exportar o cereal, diminuindo a oferta nacional. Consequentemente, o valor de um pacote foi nas alturas.

Quase um ano depois, a procura pelo alimento é menor, ele está em tempos de safra, mas mesmo assim o arroz continua caro. Por que será? A palavra-chave para esse evento é: reflexo.

Mesmo com o valor lentamente, o consumidor final ainda vai demorar a ver uma diferença considerável no bolso. Aquele preço antigo não se verá tão cedo.

O impacto na alimentação dos brasileiros antes e agora: o que mudou?

O brasileiro tem um jogo de cintura natural. O arroz continua caro, mas o que isso impactou antes e o que impacta agora na alimentação dos cidadãos, especialmente de baixa renda?

Assim, leia mais: Tradicional Bacalhoada Da Páscoa Corre Risco Por Conta Da Alta De Preços; Entenda

A princípio, a alternativa foi encontrar substitutos do cereal para driblar os preços altos. Assim, chefes de família puderam colocar comida na mesa, ao mesmo tempo em que descobriram novos sabores e novas formas de se alimentar. Sem contar que, além de saciar, pode ser bem nutritivo.

Então, ficar sem arroz foi uma perda? Em termos nutricionais, não. Existem opções no mercado que são tão nutritivas quanto, assim como são mais baratas também. Saciedade, textura, sabor e nutrientes. Quer mais o que?

O brasileiro realmente transformou a sua alimentação depois da pandemia, sejam aqueles desempregados que viram a comida acabando em casa, sejam os que redescobriram novas formas de cozinhar.

O arroz continua caro

Existem opções no mercado para substituir o arroz que são tão nutritivas quanto, assim como são mais baratas também
Existem opções no mercado para substituir o arroz que são tão nutritivas quanto, assim como são mais baratas também – Foto: Canva Pro

O arroz, como muitos sabem, está no topo do grupo dos cereais. Contudo, o trigo, o milho, o centeio e a aveia também estão e são ótimas fontes de fibras, carboidratos, vitaminas e minerais.

O milho foi o substituto mais destacado da dupla do feijão, talvez por sua versatilidade na hora de preparar. Ele pode ser feito em sua forma de grão, cozido na espiga, como um ingrediente complementar de diversas receitas, ou até mesmo principal em sopas e cremes.

Este cereal contém uma grande quantidade de antioxidantes, favorecendo a saúde do intestino, a saciedade e muitas outras coisas. Mas, e as outras substituições que foram feitas?

Entre os pratos mais consumidos, destacaram-se:

Outros alimentos, que não foram citados acima, mas que garantem energia, bons nutrientes e uma substituição completa são os vegetais, como:

  • Brócolis,
  • Cenoura;
  • Couve-flor;
  • Beterraba;
  • Chuchu;
  • Abóbora;
  • Mandioca.

Felizmente a inflação teve queda, mas o arroz continua caro. O que se pode fazer até que os preços voltem a se estabilizar é pesquisar onde se oferta o melhor custo-benefício. Além do mais, deve-se lembrar sempre que alimentos de safra são, comumente, mais baratos, portanto, podem ser uma boa alternativa.

Portanto, confira mais: Dicas de cozinha: confira os truques da chef famosa que facilitarão seu dia a dia

Cashback entenda tudo sobre esse programa

Cashback: entenda tudo sobre esse   Quem tem o costume de comprar no cartão de crédito e possui a saúde financeira em dia, certamente já ouviu falar a respeito do cashback. Hoje, vamos falar sobre esse programa de vantagens, que pode devolver até uma parcela de determinadas compras que se faz. O que seria o cashback? Cashback, em português, quer dizer ”dinheiro de volta”. Isso significa que esse programa permite que o comprador receba parte dos valores gastos no cartão para usar nas compras futuras.

- Advertisement -

Rate this post

Para obter mais conteúdos siga o Receitas Facéis no Google News.
Comentários
Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceito Ler mais