Rodrigo Maia explica quais são os pilares de sua ideologia política

Ex-presidente da Câmara e deputado federal pelo DEM fala sobre seus pontos de vistas na política

-- Continuar depois da publicidade --

O deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ) ganhou enorme notoriedade no cenário político brasileiro ao atuar como presidente da Câmara dos Deputados nos últimos anos, sendo elogiado e criticado por suas ações à frente da Mesa Diretora da casa. Em entrevista, ele explicou os pilares de sua ideologia política. Veja hoje (25/04).

Eleito deputado federal pelo partido Democratas, Maia está prestes a trocar de sigla. É provável que sua próxima legenda seja o MDB, partido de centro, que articula para participar das próximas eleições com um candidato próprio ou em forma de aliança.

-- Continuar depois da publicidade --

Oposição tanto ao governo petista, como também à gestão Bolsonaro, o congressista afirma ter um ponto de vista liberal na economia, mas sem extremismos para nenhum lado.

Rodrigo Maia
Rodrigo Maia, deputado federal (Foto: Câmara dos Deputados)

Rodrigo Maia explica seus pilares na política

Em uma entrevista concedida ao canal da Gabriela Prioli, no Youtube, Maia explicou sua ideologia política dessa forma:

-- Continuar depois da publicidade --

“Na economia, um caminho mais liberal, mas ao mesmo tempo respeitando o papel do mais pobre do Estado brasileiro. Não é nem um liberalismo radical, compreendendo que o mercado, a atividade privada, tem papel fundamental no desenvolvimento do país, que é gerar riquezas. Claro, a defesa das instituições democráticas, é óbvio. A gente não achava que esse assunto ia voltar, mas voltou nos últimos anos. E a compreensão de qual é o papel do estado numa sociedade de um país em desenvolvimento. A gente olha o papel do estado brasileiro e vê que ele tem mostrado ao longo dos últimos anos, ao invés de distribuir renda e reduzir desigualdade, o Estado, ao contrário, tem concentrado poder e renda na mão das elites do setor público e do setor privado. O papel do Estado, diferente do que a gente olha nos países da CDF e as suas ações, impostos e transferências reduzem desigualdade em 40%. Na América do Sul e na América Latina, reduzem muito pouco, 4%. No Brasil, para se ter uma ideia, subsídios tributários dos empresários e transferências para os pobres, esse bolo fica 25% com os pobres e 75% com os ricos”.

Rodrigo Maia também creforça que o Estado precisa atuar contra as desigualdades e afirma que o “bolsonarismo” vai no caminho oposto.

“Acho que a compreensão do papel do Estado, de qual é o papel, a função e a necessidade para que o Estado consiga arbitrar redução dessa desigualdade, que eu acho que é o que gerou o bolsonarismo. A tecnologia e a concentração ainda maiores de riqueza na mão de poucos geraram no Brasil, nos Estados Unidos, na Grã-Bretanha, na Itália, na Hungria e na Polônia, gerou o aparecimento de uma classe média de extrema-direita que se sentiu abandonada por esse Estado. Acho que o Estado precisa representar esse papel de arbitrar e representar a sociedade”.

Casa financiada pela Caixa: como conseguir pelo Minha Casa Minha Vida

Financiar casa pela Caixa Econômica Federal está bem acessível. Basta ficar atento aos requisitos de renda que são impostos através das regras vigentes do programa Minha Casa Minha Vida, futuro “Casa Verde Amarela”, por meio do governo federal. São oferecidas milhares de moradias para quem é considerado como de baixa renda. Saiba hoje como conseguir.

-- Continuar depois da publicidade --

Para obter mais conteúdos siga o Folha Go no Google News. Quer se avisado de graça sobre os melhores conteúdos em primeira mão? Receba Nossas Notificações Aqui!

Comments
Loading...