Como funciona a demissão voluntária do Banco do Brasil? Entenda

Banco estima demissão de até cinco mil pessoas

O Banco do Brasil anunciou um projeto para realizar reestruturação de sua organização e isso inclui a demissão voluntária de cinco mil funcionários Afinal, como funcionará a ação de se demitir voluntariamente? Entenda hoje (13/01).

Como parte de um grande projeto já aprovado para economizar mais de R$ 500 milhões somente neste ano de 2021, o BB confirmou que irá fechar 361 unidades físicas espalhadas pelo Brasil, demitir e readequar até cinco mil pessoas de sua base de funcionários.

As unidades que irão ser fechadas ainda não foram anunciadas, mas sabe-se que serão 112 agências bancárias, 7 escritórios e 242 postos de atendimento que atualmente funcionam em dezenas de cidades brasileiras.

Todo o processo de reestruturação organizacional do Banco do Brasil é esperado que aconteça ainda neste primeiro semestre de 2021.

Como funciona a demissão voluntária do Banco do Brasil? Entenda
Como funciona a demissão voluntária do Banco do Brasil? Entenda (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Já as cinco mil demissões serão anunciadas nas próximas semanas. Através de um comunicado divulgado à imprensa, o banco informou que no mais tardar irá informar quantas pessoas foram demitidas ou readequadas a outros cargos até o dia 5 de fevereiro.

Leia mais: Tem como fazer empréstimo com nome sujo no Banco do Brasil? Entenda

Demissão voluntária do Banco do Brasil: como funciona?

Na nota divulgada à imprensa nesta última segunda-feira, 11 de janeiro, o Banco do Brasil anunciou duas modalidades de programas de desligamento incentivado voluntário aos seus milhares de funcionários espalhados pelas agências, escritórios e postos de atendimentos que irão fechar.

Nos dois casos, o próprio funcionário é quem terá de fazer a solicitação para integrar a um dos dois programas de desligamento, pois suas unidades serão fechadas e, portanto, não será possível continuar no mesmo cargo.

Sendo assim, existe a possibilidade de solicitar a readequação a um novo cargo em outra unidade que permanecerá aberta ou pedir o desligamento total da instituição.

Veja abaixo como é explicado pelo BB.

Programa de Adequação de Quadros (PAQ)

“A fim de otimizar a distribuição da força de trabalho, equacionando as situações de vagas e excessos nas unidades do banco. Além da opção de desligamento, o PAQ incentiva movimentações laterais para unidades onde existam vagas”.

Isto é, o funcionário que desejar continuar trabalhando junto ao Banco do Brasil terá de solicitar integração a este programa, que poderá lhe enviar para um cargo em outra unidade.

Através deste programa, o funcionário terá a chance de ser enviado para uma unidade onde não haja vagas em excesso.

Leia também: Banco do Brasil: aplicar na poupança ainda vale a pena? Qual o rendimento?

Programa de Desligamento Extraordinário (PDE)

“Disponível a todos os funcionários do BB que atenderem aos pré-requisitos e é específico para o incentivo ao desligamento, com limite de 5 mil adesões”.

Neste caso, o programa indica que os funcionários que atenderem aos pré-requisitos informados pelo banco solicitem seu desligamento. Fica limitado a cinco mil demissões voluntárias.

Os pré-requisitos destacados no Fato Relevante divulgado pelo BB não foram informados ao público. A decisão deve ser tomada pelo funcionário de forma pessoal, de acordo com as condições estabelecidas internamente.

Leia ainda: Banco do Brasil: como funciona a Conta Fácil? É grátis? Saiba mais

Comments
Loading...