Deputado Marcelo Freixo critica valor do novo auxílio emergencial

Hoje (05/04) o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL – RJ) criticou em sua conta oficial no Twitter o valor do novo auxílio emergencial que o governo pretende pagar. Não obstante, o parlamentar apontou que o número de brasileiros na condição de extrema pobreza triplicou durante a pandemia. Saiba mais a respeito aqui no Folha Go.

Além disso, Marcelo Freixo afirmou ainda que o pessoal da oposição está lutando arduamente na Câmara para que esse auxílio a ser pago seja de pelo menos R$600, como foi em 2020.

-- Continuar depois da publicidade --

O valor do novo auxílio emergencial

A priori, o valor do novo valor emergencial possui três faixas distintas: R$175, para pessoas que moram sozinhas; R$250 para famílias com mais de 1 pessoa e que não sejam chefiadas por mulheres e R$375 para famílias que tem uma mulher na chefia da casa.

Contudo, em 2020, as cinco primeiras parcelas do benefício apresentavam o valor de R$600. Aliás, esse valor podia chegar a R$1200 para as mães solo. Posteriormente, o governo pagou mais 4 parcelas, que receberam o nome de parcelas residuais, no valor de R$300, podendo atingir R$600 no caso das mães.

-- Continuar depois da publicidade --

valor do novo auxílio emergencial
Deputado Marcelo Freixo critica valor do novo auxílio emergencial. Fonte da imagem: Pixabay

Ademais, cabe ressaltar que o pagamento do benefício se estendia até o última dia de dezembro de 2020. Em outras palavras, em tese, não haveria mais auxílio a partir do ano 2021.

Entretanto, tendo em consideração a continuidade da pandemia da Covid – 19 e a crise econômica decorrente dela, o governo vem analisando a possibilidade de voltar a conceder o benefício. Entretanto, o orçamento seria bem menor e os valores pagos, conforme se citou anteriormente, também seriam mais baixos.

O outro lado da pandemia

Freixo afirmou em seu Twitter criticando o valor do novo auxílio emergencial que a extrema pobreza aumentou, o que é verdade. De acordo com um levantamento feito pela Fundação Getúlio Vargas, na metade de 2020, a quantidade de brasileiros que se encontravam em situação de extrema pobreza estava na casa dos 9,5 milhões.

Todavia, por conta da crise econômica, esse número triplicou. Isso porque muitas pessoas perderam seus empregos ou tiveram seus rendimentos drasticamente reduzidos. Além disso, 13,7 milhões dos 67,9 milhões de brasileiros que recebiam auxílio passaram a viver em extrema pobreza com o fim do mesmo.

 

 

 

 

-- Continuar depois da publicidade --

Comments
Loading...