Looks like you have blocked notifications!

Gestão financeira pessoal: 6 dicas para serem executadas imediatamente

Uma boa saúde financeira reflete em vários outros setores da vida, mas algumas pessoas não fazem ideia de por onde começar os ajustes

-- Continuar depois da publicidade --

O ano praticamente acabou de começar. Então, pode-se dizer que este é o melhor momento para fazer uma  gestão financeira pessoal eficaz. Por isso, neste sábado (9)  preparamos  algumas dicas que podem ajudar muita gente a atingir as metas preparadas para 2021.

Economizar e investir pode ser a chave para a execução de projetos futuros
Economizar e investir pode ser a chave para a execução de projetos futuros – Foto: Canva Pro

-- Continuar depois da publicidade --

Algumas atitudes financeiras eficazes se relacionam com investimentos seguros, economia diária, entre outras coisas. Contudo, algumas pessoas não fazem ideia de por onde começar. Assim, com as sugestões contidas na matéria que segue, será possível elucidar várias questões acerca do assunto.

Ademais, leia também: Fatura Santander Cartão de Crédito: aprenda como emitir a 2ª via do boleto

6 dicas de gestão financeira pessoal para praticar agora mesmo

Uma boa gestão financeira pessoal é primordial para não se surpreender no fim do mês. Todavia, algumas ações vão muito além disso.

O controle do orçamento evita gastos desnecessários, assim como ajuda a direcionar os recursos adquiridos. Mas, para que se tenha realmente um bom êxito, certas estratégias práticas podem ser executadas.

1.Acompanhamento dos gastos

Essa é uma ação básica, mas que, pasmem, poucos praticam. No entanto, é um perigo real deixar todas as contas se acumularem, sem tentar entender o que está acontecendo.

Tal comportamento, certamente, acarretará em mais gastos no fim das contas. E é nesse momento que as dívidas tendem a se tornarem em grandes “bolas de neve”.

Para evitar a situação, é demasiado importante acompanhar o que se gasta, quanto e como. Uma boa forma de controle é utilizando aplicativos próprios, planilhas no computador ou mesmo um caderno.

O que se visualiza é melhor entendido. Provavelmente, de início, haverá surpresas, talvez desagradáveis, mas será eficiente.

2.Gestão financeira pessoal usando cartões de crédito

Os cartões de crédito são para ajudar nos momentos de maior dificuldade, quando não se pode pagar à vista. Contudo, alguns indivíduos fazem deles os principais meios de pagamento de tudo no qual se investe.

Esse é um erro fatal. Uma vez que o descontrole vem “do que não se vê” de imediato, remetendo ao item acima. Muitos acabam não tendo noção dos gastos e se endividam mais e mais.

Mas com um planejamento financeiro eficiente, não será preciso usar o cartão de crédito muitas vezes (ou nunca). Tudo o que se gastará vai se encaixar no orçamento mensal.

Obviamente que se deve contar com as urgências, entretanto, não será nada muito além do planejamento original.

Portanto, confira mais: Entenda como ativar a função crédito no cartão de débito do Nubank

Não acompanhar os gastos mensais pode levar ao endividamento rápido
Não acompanhar os gastos mensais pode levar ao endividamento rápido – Foto: Canva Pro

-- Continuar depois da publicidade --

3.Pagamento das contas até a data de vencimento

Eliminar juros e multas por pagamentos em atraso pode ser considerado um auxílio e tanto na gestão financeira.

Pagar as contas em dia será um passo a mais no caminho para o êxito do reequilíbrio financeiro.

Uma boa estratégia é programar o orçamento contando com as contas básicas, como telefone, energia elétrica e água. Como os valores não são tão flutuantes, você saberá aproximadamente quanto terá que dispor por mês para não ficar devendo.

4.Importar-se com reservas financeiras

As reservas são parte da gestão financeira pessoal eficaz. Uma vez que você elimine o excesso dos hábitos consumistas, cortando despesas supérfluas, poderá sobrar dinheiro no fim do mês.

Assim, é preciso definir um valor que será guardado, de preferência em uma conta no banco.

Caso sobre um pouco mais, faça duas reservas: uma para despesas extras e outra para projetos futuros.

5.Consumo sem exageros

Ter consciência de gastar apenas o necessário é como retomar o controle para suas mãos. Jamais compre por impulso, analise as compras por um tempo, pesquise preços, bem como peça descontos.

O que se adquire sem necessidade tende a levar ao endividamento. Todavia, caso não haja comprometimento do trabalho dentro do planejamento financeiro, isso não será um grande problema.

6.Invista em algo

Os investimentos em geral podem trazer rentabilidade efetiva para os patrimônios pessoais. Dessa forma, é interessante definir, tal como se fará com a reserva financeira, um valor para investimentos em títulos, ações, assim como em fundos.

Mas, antes de tudo, deve-se estudar qual é o melhor investimento, de acordo com o perfil do usuário. Usar de cautela sempre levará a transações mais seguras.

Alguns aplicativos de gerenciamento personalizam os investimentos. Portanto, a opção escolhida será a de um ativo compatível exatamente com o perfil investidor.

Um suporte personalizado vai direcionar os caminhos que o consumidor pode seguir dentro mercado financeiro. Reduz-se, então, os riscos e aumentam-se as chances de sucesso na transação.

Gostou das nossas dicas de gestão financeira pessoal? O que achou de tudo isso? Deixe seu comentário para sabermos se lhe foram úteis. Se sim, compartilhe a matéria para que esses ensinamentos possam ajudar mais pessoas.

De igual modo, você pode se interessar: CPF restrito: veja 4 maneiras de ficar com nome sujo no SPC e Serasa sem notar

Looks like you have blocked notifications!

-- Continuar depois da publicidade --

Comments
Loading...