Take a fresh look at your lifestyle.

Há pagamento de salário-maternidade para desempregadas?

Não perca nenhum conteúdo de nosso Blog. Clique no botão abaixo e fique atualizado!

As trabalhadoras brasileiras têm direito ao afastamento do trabalho por 120 dias quando há nascimento ou adoção de filho. Contudo, durante o período longe das atividades laborais elas recebem um auxílio previdenciário. Mas, afinal, há extensão do direito de salário-maternidade para desempregadas?

Continuar depois da publicidade

A resposta para essa pergunta depende de uma série de requisitos. Ou seja, a desempregada pode ou não ter direito ao benefício previdenciário relacionado à maternidade. Aliás, isso está relacionado ao período de graça do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Dessa maneira, continue lendo para entender como funciona o período sem contribuições à Previdência Social e o direito ou não em receber o salário-maternidade para desempregadas.

Continuar depois da publicidade

Veja também: Prova de Vida INSS pelo celular já está disponível para todos?

Salário-maternidade para desempregadas: Existe direito de recebimento?

Sim. Porém, esse direito depende do tempo transcorrido entre a suspensão dos recolhimentos ao INSS (geralmente coincidentes ao rompimento do contrato de trabalho) e a solicitação do benefício.

Continuar depois da publicidade

A Previdência Social garante que há a manutenção da condição de segurada para as trabalhadoras por um período em que não houver o recolhimento de contribuições ao INSS. É essa titularidade, aliás, que permite que haja pagamento de salário-maternidade para desempregadas.

Leia: Quem está desempregado tem direito ao PIS? Entenda e veja como receber

salário-maternidade para desempregadas
Confira hipóteses em que há pagamento do benefício referente à maternidade. (Imagem: Doméstica Contábil)

Quando a desempregada tem direito ao recebimento de salário-maternidade?

A desempregada recebe o benefício previdenciário relacionado à maternidade quando ela tiver ficado no máximo 12 meses sem contribuir ao INSS.

Ainda, esse prazo é contado a partir do final de seguro-desemprego ou outro auxílio previdenciário recebido anteriormente. Outra hipótese, por outro lado, condiz à trabalhadora que contribuiu para o INSS por mais de 10 anos (120 contribuições). Nessa hipótese ela manterá o direito de segurada por 24 meses após suspensão de recolhimentos.

Como requerer salário-maternidade para desempregadas?

Para pedir o benefício é preciso acessar o aplicativo Meu INSS. Além disso haverá necessidade de apresentação de documentos. Dentre eles estão, por exemplo, documento de identificação da requerente e certidão de nascimento do filho.

Para quem não está desempregada o salário-maternidade não precisa ser requerido pela trabalhadora. Nesse caso, o empregador é responsável por fazê-lo. Assim, a empresa paga o valor mensal à trabalhadora afastada e tem o direito de ser ressarcido pelo INSS.

Portanto, o pagamento de salário-maternidade para desempregadas depende da manutenção da condição de segurada. Isso, por outro lado, possui dependência ao tempo de contribuição anterior e à data na qual ela foi suspensa.

Confira agora: Quando vai ser votada a prorrogação do seguro-desemprego?


Continuar depois da publicidade
Para obter mais conteúdos siga o Folha Go no Google News. Quer se avisado de graça sobre os melhores conteúdos em primeira mão? Receba Nossas Notificações Aqui!

Comments
Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais...