Banco Central determina limite para transferências por Pix; entenda

Anúncio


O novo sistema de transações bancárias já é considerado como um sucesso, pelo alto número de brasileiros cadastrados e pela quantidade de movimentações desde novembro. Por isso, o Banco Central determinou um novo limite para transferências por Pix neste mês de março. Conheça hoje (04/03) os detalhes.

Continua depois da publicidade

O Pix foi instituído como mais nova forma de transferir dinheiro entre contas de um mesmo banco e também de instituições bancárias diferentes no dia 16 de novembro. Não demorou para atingir números considerados satisfatórios pelo Banco Central do Brasil.

Criado pelo Bacen, o novo método de transações funciona 24 horas por dia, com compensação imediata na conta de destino e não possui nenhum custo adicional para executar a transferência.

Continua depois da publicidade
Banco Central determina limite de transferências por Pix
Banco Central determina limite de transferências por Pix (Foto: Banco Central)

Com maior praticidade e agilidade para transferir dinheiro, a movimentação financeira entre os correntistas brasileiros tem se tornado cada dia mais digital, o que coincide exatamente com o atual momento de manter distanciamento social.

Continua depois da publicidade

Além de demonstrar rapidez e facilidade no uso, o Pix também tem provado ser uma ferramenta segura na visão do Banco Central. Por essa razão, o limite de transferências através deste sistema sofreu uma alteração.

Banco Central determina limite para transferências por Pix

O anúncio da mudança aconteceu no dia 1º de março, na última segunda-feira, e promete elevar a quantidade de dinheiro movimentado através do Pix daqui em diante.

Isso porque o limites de transferências a partir de agora, através do Pix, deve ser igual ao que é adotado pelo banco para TED.

Ou seja, um usuário poderá transferir o mesmo valor que faria através de TED por meio do Pix, compensando de forma imediata.

Para pagamentos, também há aumento no limite

O valor máximo da movimentação via Pix para compras passa a ser o mesmo do cartão de débito.

O Banco Central mantém a liberdade para cada instituição financeira indicar quais serão os valores máximos a serem movimentados por Pix.

No entanto, o que precisa acontecer é a compatibilidade do limite em relação ao uso da TED e do cartão de débito, respeitando a determinação imposta pelo principal órgão financeiro do país.

Fazer transferência pelo Pix é seguro mesmo?

Muita gente tem medo da tecnologia. E com o Pix, dúvidas não param de surgir! Confira todos os detalhes aqui e entenda se o novo sistema de transações bancárias pode ser utilizado sem medo e sem risco de perder algum dinheiro em sua conta.

Carregando comentários aguarde...
...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais

Política de Privacidade e Cookies