Procon-SP e Senacon enviam notificação para o Serasa sobre vazamento de dados

O Procon-SP e a Senacon (Secretaria Nacional do Consumidor) mandarão uma notificação para o Serasa solicitando esclarecimentos a respeito do vazamento de dados de mais de 223 milhões de CPFs. O caso foi descoberto semana passada, quando um laboratório especializado em segurança digital da startup PSafe descobriu o ocorrido.

O fato tornou-se mais conhecido publicamente na segunda-feira. Os dados estão expostos na Internet e foram postos à venda pelos hackers. Entenda hoje (27/01) o que ocorreu e o que se sabe até agora.

Leia ainda: Consulta ao SPC e Serasa pode ser feita pelo site e aplicativo; sem custos

A notificação para o Serasa e o vazamento de dados

vazamento de dados notificação para o serasa cpfs
Procon-SP e Senacon enviam notificação para o Serasa sobre vazamento de dados. Fonte da imagem: Freepik

A Senacon, que mandou notificação para o Serasa sobre o vazamento de dados, declarou que realizou a instauração de um procedimento de verificação preliminar para analisar a “autoria e materialidade” do tal vazamento. A entidade deu um prazo de 15 dias para o birô responder a algumas perguntas.

Essas perguntas que devem ser respondidas são:

  • A instituição reconhece que os dados vazaram de suas bases de dados ou de suas operadoras parceiras?
  • Por quanto tempo tais dados ficaram expostos?
  • Quem teve acesso?
  • Quais dados foram acessados?

Leia ainda: Negativação indevida? Veja como tirar o nome do SPC e Serasa

A Senacon também questionou o birô a respeito das medidas aplicadas por eles para o aprimoramento da segurança da privacidade dos titulares de dados e se o birô porventura, em algum dos seus serviços oferecidos, conta com o tratamento, fornecimento ou disponibilização de dados.

O Procon-SP é outro órgão que está buscando compreender a razão do vazamento de dados. A Lei Geral de Proteção de Dados, que prevê punições de até R$ 50 milhões, só começam a vigorar este ano. No entanto, o Procon tem a liberdade de aplicar penalidades previstas no Código de Defesa do Consumidor, que podem chegar até R$10 milhões.

Além desses dois órgãos, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) declarou em nota que está averiguando o caso, mas que, por hora, não pode se pronunciar. A assessoria de imprensa do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) também disse que o órgão está de olho no caso, porém não deu maiores detalhes.

O maior vazamento da história brasileira

O vazamento de dados contendo informações de caráter pessoal de mais de 223 milhões de brasileiros surgiram em fóruns utilizados por hackers e criminosos digitais em geral. Esses dados estão separados por CPF e também são acompanhados de dados de veículos cadastrados no país.

São essencialmente dois vazamentos em separado. Um deles apresenta informações limitadas sobre CPFs e veículos e estão circulando livremente na Internet. Um segundo vazamento, cuja distribuição está mais restrita, engloba dados do benefícios do INSS, programas sociais, escolaridade, score de crédito e renda.

Leia ainda: Meu INSS: veja como fazer a atualização de dados do benefício

Segundo Bruno Bioni, professor e fundador do Data Privacy Brasil, esse pode ser o maior e o mais prejudicial vazamento do país. Conforme ele enuncia, é a hora adequada para se elaborar um plano de contingência para reparar os possíveis danos.

Leave A Reply

Your email address will not be published.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais

Política de Privacidade e Cookies