Google não é culpado por Bitcoins roubados de investidor

Reprodução/Redes Sociais
0

O FolhaGo traz nesta quarta-feira (02), as atualizações para você de um caso na justiça que envolve o Google e o bitcoin. Assim, o evento que levou o Google ao julgamento, partiu de um investidor que teve seus BTCs roubados após invadirem o seu Gmail. O caso ocorreu em 2017, contudo, apenas na última quinta-feira (25), teve fim.

Segundo o investidor, depois que invadiram sua conta do Gmail, roubaram 79 BTC de sua carteira de criptomoedas. Assim, ele esperava receber uma indenização de R$ 200 mil por danos materiais. Contudo, segundo a justiça, o Google é inocente na acusação e não precisa indenizar o investidor.

Google não é culpado por Bitcoins roubados de investidor Créditos de imagem pixabay

A primeira instância do tribunal não foi favorável ao investidor, então ele apelou ao STJ, que decidiu negar o pedido do cliente em novembro de 2020.

No processo, a justificativa do usuário é de que os invasores quebraram a autenticação em dois fatores após invadirem o seu Gmail. De todo modo, para a relatora do STJ, Nancy Andrighi, a alegação do usuário não tem fundamento. Isso porque não dá para quebrar a autenticação de dois fatores com apenas o e-mail, também é necessário o celular.

Além disso, a justiça alegou que o bitcoin estava em uma carteira digital de plataforma distinta (blockchain.com). Desse modo, o Google saiu inocente, pois as afirmações são inconsistentes. Um resultado triste para o investidor, afinal, a quantia de bitcoin em sua carteira equivale a cerca de R$ 23 milhões.
Corretora não é carteira para o seu bitcoin
Este caso reforça a mensagem de muitos investidores sobre como guardar criptomoedas. A primeira indicação é para não deixar o dinheiro em corretoras ou sites pouco confiáveis. Além disso, ao alcançar um número elevado de cripto, as recomendações para o armazenamento são outras.

Google não é culpado por Bitcoins roubados de investidor Créditos de imagem pexels

Assim, quem tem mais moedas pode reforçar a sua segurança investindo em uma carteira própria para armazenar criptomoedas. No caso desse investidor, seria recomendado o uso de uma hardwallet. Esta carteira funciona como pendrive, e sua maior segurança está no fato de não ter conexão com a internet.

Além dessa, também existem outras opções disponíveis, contudo, a melhor para armazenar grandes valores, sempre será uma carteira offline ou cold wallet. Assim, o investidor pode se proteger de uma das maiores ameaças no mundo cibernético — hackers.

De todo modo, vale lembrar também que as criptomoedas são um fenômeno recente e ainda estão em fase de descoberta no mundo. Assim, as chances de levar um processo desses para a justiça e ganhar, ainda são baixas. Além disso, depois que algo foi inscrito em uma blockchain, não existe justiça que possa alterar esta decisão.
Sites Sobre Criptomoedas São Banidos Por Governo Chinês

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.