Nevoeiro encobre a capital paraense na manhã desta sexta-feira

O intenso nevoeiro chamou a atenção de todos na capital paraense

-- Continuar depois da publicidade --

A capital paraense amanheceu um pouco diferente, nesta manhã de sexta-feira 23 de agosto de 2019. A vista de Belém acordou com o céu  encoberto de fumaça e causou alvoroço entre o povo paraense, para saberem qual o motivo de todo aquele nevoeiro.

Belém é considerada a capital mais chuvosa do Brasilem virtude de seu clima de floresta equatorial. A capital está localizada no nordeste da maior floresta tropical do mundo, por isso seu clima é diretamente influenciado pela Amazônia.

-- Continuar depois da publicidade --

O caso do fenômeno, ocorrido nesta sexta-feira, rapidamente repercutiu o Brasil todo, deixando, assim, não só os paraenses curiosos. Muitas especulações foram feitas e teses levantadas, mas nenhuma provada, só se sabe que não é um caso de se desesperar.

Segundo a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), existe uma explicação para esse fenômeno. O intenso nevoeiro na capital paraense ocorreu devido às últimas chuvas registradas em Belém e também pelas queimadas ocorridas em volta da região, que contribuíram para a formação de toda essa fumaça.

A formação é natural e, geralmente, ocorre quando há chuva, seguida de céu sem nuvens, foi o que ocorreu na capital. Sendo assim, a superfície veio a esfriar e, pela madrugada, a temperatura teve queda. Como a umidade das chuvas ficou suspensa na atmosfera, veio ocasionando, assim, o nevoeiro nesses últimos dias.

-- Continuar depois da publicidade --

Há ocorrência de queimadas na região sudeste paraense e em outros estados vizinhos, como o Maranhão. A umidade elevada do ar vem gerando o nevoeiro na capital paraense, que teve um aumento nas queimadas, comparando a esse mesmo período no ano passado, de 188%.

Aumento de queimadas no Brasil

Outros quatros estado tiveram aumentos nas queimadas em relação ao ano de 2018 no Brasil. O estado do Mato Grosso do Sul teve uma alta de 260%, Rondônia de 198%, Acre obteve 176%, Rio de Janeiro  teve 173% e o estado de Mato Grosso, que mais uma vez é líder, com fogo de 13,641, totalizando 19% do total nacional.

As queimadas em nosso país, em relação ao mesmo período do ano passado 2018, obtiveram 82% de aumento. Segundo o Programa Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), os focos de incêndios, nesse ano de 2019, foram de 71.497 focos, contra 39.194 no ano de 2018.

Programa Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) ainda mostrou os dados baseados em imagens de satélite, que nos afirmam que essa é a maior alta já ocorrida em nosso país e também o maior número registrado de queimadas em 7 anos.   

-- Continuar depois da publicidade --

Comments
Loading...