Cachorro grande ou pequeno: qual vive mais? Saiba agora mesmo e por que

Tamanho tem total influência na longevidade canina

Ter um pet é muito mais do que ter um animal de estimação, pois diversas questões afetivas estão em pauta. Dessa forma, é normal querer saber qual cachorro vive mais: se o cachorro grande ou pequeno antes mesmo de adotar ou comprar um filhotinho. Dito isso, o Blog Pets do Folha Go elaborou nessa quinta-feira (17/09) esse artigo super interessante e informativo que trata sobre o assunto.

Entenda, portanto, o que diz a ciência a respeito e por qual motivo e razão a dimensão e porte do cachorro influencia em sua expectativa de vida; isto é, na sua longevidade.

Cachorro grande ou pequeno: qual vive mais?

De forma instantânea, relacionamos tamanho à duração. No mundo animal, essa relação até faz sentido, pois uma mosca, por exemplo, vive apenas alguns dias a já as baleias, cerca de 8 a 9 décadas.

No entanto, no mundo canino essa aplicação e interpretação não são válidas, pois os cachorros de porte pequeno vivem mais, uma vez que o tamanho do animal interfere na sua expectativa de vida.

Por essa razão é muito comum ver um chihuahua velhinho, com mais de 15 anos e não ser tão comum ver  um pastor alemão com mais de 12 anos, por exemplo.

Portanto, os cães pequenos vivem mais se comparados com os de porte grande e enorme.

Leia ainda: Cachorro se parece com dono? Confira se é verdade ou mentira: a resposta vai te surpreender

Por que isso acontece?

Cachorro grande ou pequeno: qual vive mais? Saiba agora mesmo quem e por que
Cachorro grande ou pequeno: qual vive mais? Saiba agora mesmo quem e por que – Imagem: Divulgação zooplus.es

Por diversos motivos. Contudo, alguns fatores são mais predominantes, como o fato de que os cães grandes envelhecem mais rapidamente.

Por outro lado, o desenvolvimento celular dos cachorros pequenos acontece de forma gradual e não tão rápida como ocorre com os cães maiores.

Esses fatores impedem ou aumentam os riscos de surgirem várias doenças caninas, inclusive o câncer. Portanto, ficar de olho na saúde do pet, principalmente, visitas periódicas ao veterinário para deixar tudo em dia.

Nesse quesito de cuidados preventivos, vale lembrar da boca do cachorro, pois, ela precisas de um olhar diário, vez que bactérias bucais podem migrar e agredir o coração e pulmão dos mascotes tão amados.

Portanto, é preciso sempre ter em mente os cuidados adequados para prolongar ao máximo possível a vida canina, independente do porte e raça.

Leia também: Quando começar o adestramento do cachorro? Veja 5 dicas para fazer em casa

Sendo assim, um dos fatores importantes são os exercícios físicos diários

Veja as dicas de como improvisar espaços pequenos e que divertem os animais em casa.

Comments
Loading...