Forbes: 70% dos que estavam na lista “Under 30” estão em algum projeto cripto

0

A revista Forbes é, de longe, uma referência no que tange difusão de figuras importantes para setores promissores daquilo que se encaixa no sistema utilitarista: onde todos devem contribuir para sociedade. E quanto mais contribuírem, melhor serão recompensados;

Há inclusive uma lista chamada “Under 30” em que figuras celebres que menos de 30 anos são expostas e têm suas histórias de sucesso sendo contadas. A grande questão é que 70% dos participantes dessa edição da Lista adivinham do mundo cripto. Confira mais sobre isso na Folha Go, onde se encontra o investidor lucrativo.

O ano de 2021 foi um marco histórico para a existência da tecnologia blockchain e o mercado de ativos digitais. Afinal, nos últimos 365 dias esse mercado conseguiu atingir um volume de negociações de 3 trilhões de dólares.

Levando em consideração seu salto exponencial dentro de um período muito curto e comparando ao mercado que atua antagonicamente, os cripto ativos tendem a acumular muito dinheiro ainda. Até o momento atual a Bolsa dos EUA que operou 30 trilhões nesse mesmo ano enquanto a Bovespa chegou a movimentar 26 bilhões não rendeu tantos impactos quanto o mercado de tokens de blockchains.

E é por isso que talvez, e só talvez, a grande maioria dos participantes do “Under 30” serem envolvidos com o mercado de cripto ativos. Mas, afinal, quem são?

Quem está nos Under 30?

Figuras como Vitalik Buterin, cofundador da rede Ethereum e idealizador do projeto é um dos mais cotados entre os demais dessa lista. Sam Bankman, criador da FTX, também está entre os nomeados dessa lista que contém, ao todo 21 pessoas envolvidas com cripto ativos de forma direta.

E algo que pode ter contribuído para a presença de Buterin, além de sua genialidade ao criar um projeto como Ethereum, é seu lado filantrópico. Lado esse que abriu horizontes para o mercado cripto durante o período da pandemia, quando o Vitalik enviou 76 milhões de dólares em Shiba Inu.

Os tokens que não foram usados, por sinal, foram queimados para aumentar a escassez dessa moeda. Ou seja, mais um exemplo de projeto, ainda que eventual, totalmente sustentável que pode e já gerou muitas mudanças no mercado (SHIB).

Sinal positivo para criptos?

A medida que o tempo vai passando e a tecnologia blockchain vai se consolidando gradualmente como algo aceitável, comum, útil e real, a sua difusão na mente das pessoas entra em eminência e passa a ser uma obviedade. É um processo pelo qual todos vão passar.

Foi da mesma forma com o telefone. Com o rádio. A televisão. Os celulares. A internet. E, por hora, com a blockchain.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.