Doença de coração nos gatos: entenda mais com dicas da veterinária

Entenda mais sobre essa doença que pode afetar os felinos

Doença de coração nos gatos. As doenças cardíacas em animais de estimação afetam principalmente o coração e o sistema circulatório do animal, embora o resto dos sistemas do corpo também sejam danificados. Por isso, hoje, 10/01, aqui na Coluna Pets do Folha Go, vamos falar mais a respeito e se há formas de prevenção. Acompanhe mais na matéria.

Leia também: Doença do carrapato é grave? Conheça o tratamento e confira dicas da veterinária

O que é a doença do coração nos gatos?

doença de coração
A doença de coração nos gatos pode comprometer a saúde do felino – Foto – Pixabay

Primeiramente essa condição faz com que o sangue não seja distribuído corretamente e, com o passar do tempo, mais órgãos são danificados. Logo, o animal tem que compensar as deficiências do aparelho circulatório, fazendo com que a frequência cardíaca aumente e os vasos se estreitem, com o consequente aumento da pressão arterial.

Qualquer um dos nossos animais de estimação pode sofrer de doenças cardíacas, independentemente da espécie ou raça (gatos, cães, roedores, pássaros, entre outros). Ademais, neste artigo iremos nos concentrar apenas nos felinos.

Veterinária Bruna Hermes fala dos sintomas

Conforme a veterinária da Coluna Pets, Bruna Hermes, a doença nos gatos costuma ser mais silenciosa que nos cães.  “A doença cardíaca em gato é bem silenciosa porque o gato não manifesta sinais clínicos, tanto como o cão. O cão demonstra tosse, já o gato não. O gato apresenta sinais clínicos respiratórios, cardiovasculares e locomotores”.

Nesse sentido, a veterinária ainda esclarece mais sobre esses sintomas:

“Os respiratórios normalmente estão com o edema pulmonar (líquido nos pulmões) e começa com arritmias, murmúrios e pulso femoral. Nos locomotores normalmente a gente tem o trombo paralisia. O animal tem a paralisia das pernas traseiras, acompanhado de dor, e essa dor é normalmente em decorrência da formação de trombos”.

Em outras palavras, os batimentos cardíacos e a respiração ficam totalmente alterados; e o pet se mostra cansado aos pequenos esforços ou movimentos.

Logo, outro sinal é a respiração do gato:

“Aumento da frequência respiratória, ou seja, o gato começa a respirar de boca aberta e fica bastante ofegante, pode perder peso, ficar mais prostrado, mais apático. Normalmente a perda de peso está associada a isso. A frequência do gato varia de 110 até 200 batimentos por minuto. Depende muito se é um gato jovem ou um adulto”.

Confira também: Obesidade: pet gordinho NÃO é sinal de saúde; veterinária Bruna Hermes esclarece

Cuidados com a doença do coração em gatos

doença do coração
Fique atento aos sinais emitidos pelos gatos. Foto: Pixabay

Por isso, a veterinária ressalta: “Como é uma doença bastante silenciosa, deve ser levar ao veterinário. Para saber rotina, alterações do gato e exames que ajudam a chegar nesse diagnóstico”.

Dicas para cuidar de um cão ou gato com problemas cardíacos

Por isso, cada animal pode sofrer de uma doença cardíaca diferente e o tratamento vai depender da doença e do seu estado de saúde do pet. Na grande maioria dos casos, um medicamento para toda a vida e controles periódicos, por exemplo, serão prescritos para estabilizar o animal e prevenir o agravamento da doença.

gato doente
O gato pode ficar doente, fique atento(a)! Imagem: Stockfreeimages.co

Dessa forma, se a doença piorou ou se houver complicações, os animais podem ser submetidos a uma cirurgia para recuperar o fluxo sanguíneo adequado na estrutura do coração. Sendo assim, em qualquer caso, com o tratamento adequado, um animal de estimação com doença cardíaca pode recuperar a saúde e estender sua expectativa de vida.

Por isso, ajude a prevenir doenças cardíacas em seu animal de estimação Desde que as doenças não sejam congênitas, uma série de hábitos pode ser adotada para ajudar a prevenir ou retardar as doenças cardíacas o máximo possível.

  • Dieta balanceada. Dê ao felino uma ração de boa qualidade, rica em proteínas e pobre em grãos e cereais.
  • Exercício. Verifique se o seu animal de estimação tem um peso corporal adequado. Você pode regulá-lo por meio de caminhadas ou estimulando o gato por meio de exercícios físicos e mentais em casa.
  • Revisões periódicas. Leve seu animal ao veterinário regularmente. Desta forma, você pode prevenir doenças antes que o animal comece a apresentar sintomas.

Por fim, leia tambémOs pets têm medo de fogos de artifício? Veja o que orienta a Dra. Bruna N. Hermes

Comments
Loading...