Ataque de Cachorro Pitbull: como cuidar e evitar agressões das pessoas

Entenda um pouco mais sobre a personalidade do Pitbull

Ataque de Cachorro Pitbull. Em vários momentos a raça veio à tona com tragédias envolvendo outros cães, pessoas adultas e principalmente crianças. Mas é realmente culpa do cão ou do ser humano de acontecer eventos tão terríveis? É por isso que hoje (18/02) o Blog Pets da Folha Go vai falar mais sobre ataque de cachorro Pitbull.

Inclusive, circula uma notícia sobre um ataque de pitbulls a um trio de pessoas e, sabidamente, foi interrompido com tiros de fuzil da PM do Rio de Janeiro.

Infelizmente, ainda é comum ouvir notícias mais trágicas envolvendo o cachorro Pitbull. Mas, será que é preciso ter medo? Como evitar agressões? Continue acompanhando o texto para saber mais a respeito.

Leia também: Conheça os cães de Luciano Huck: você sabe quantos são e quais as raças dos pets?

Características do Pitbull

Pitbull
Entenda um pouco da personalidade do cão Foto – Pixabay

O pitbull foi criado nos Estados Unidos no início do século 20 e surge do cruzamento entre bulldogs e terriers.

O objetivo era criar uma raça que combinasse a bravura dos terriers com o atletismo dos buldogues para competir no “bull-baiting”, atividade que consistia em prender um cão e um touro em um fosso para que lutassem até morte.

Dessa forma, o Pitbull foi criado agressivo, é um cão de luta que surgiu na década de 40 com uma seleção de cães resistentes que lutavam em arenas; primeiro eles enfrentaram ratos, outros animais e depois oponentes da mesma espécie.

O cão Pitbull não tem um determinado comportamento, a educação e o treino que recebe vão influenciar totalmente a sua vida adulta, seja com um temperamento amigável, reservado ou reativo.

Portanto, se você está pensando em dividir sua casa com um cão desta raça, os especialistas recomendam evitar interações beligerantes ou arriscadas com o animal, pois as crianças imitam o comportamento dos adultos e isso pode representar uma ameaça para as respostas desses animais.

Ademais, leia ainda: Como lidar com cachorro fofoqueiro? Conheça 7 raças curiosas e mais agitadas

Resultado de pesquisas sobre esse cachorro

Pitbull
Pesquisas já foram feitas sobre a raça Foto – Pixabay

Num estudo feito pela Universidade de Ohio, no qual documentaram todos os ataques de cães domésticos a crianças nas casas, foi determinado qual é o cão que mais ataca crianças dentro de casa.

Embora muitos odeiem essa notícia e até pensem que é crítica ou injustiça, de fato são os Pitbull.

É que os pesquisadores analisaram todos os registros existentes de 1970 até o presente sobre mordidas de cães e foram capazes de estudar como a raça, a forma e o peso do cão estavam relacionados a esses ataques.

Pela sua constituição e até pela sua capacidade muscular, o Pitbull saiu vencedor em relação às outras raças.

A pesquisa foi publicada no International Journal of Pediatric Otorhinolaryngology na qual se constatou que cães de cabeça larga tendem a ter um tipo de mordida mais forte, o que causa maiores danos à vítima no momento da mordida.

Estudo aprofundado sobre a raça

Depois os Pitbull passaram a ser mestiços, que registraram um grande percentual de ataques a bebês.

Para a identificação das raças, foi feita uma revisão exaustiva de diversos casos de traumas faciais, fraturas e rupturas de tecidos, em que o tamanho e a profundidade da ferida foram tomados como fator fundamental para classificá-los.

Devido a esses resultados, os especialistas recomendam manter cuidados especiais quando houver crianças e cães em casa.

Isso porque às vezes os bebês não determinam a tempo quando o animal se sente ameaçado e tentará atacar.

De qualquer modo é importante não gerar polêmicas com as raças. A raças de pequeno porte e que são brabas, como também cachorros de grande porte muito dóceis.

Todavia quando nos depararmos com cachorros estranhos, e de raças que já tem alguma fama de serem mais agressivas, é importante manter um distância.

Dicas para amansar o Pitbull

Certamente você está se perguntando ‘o que fazer para deixar o pet mais tranquilo’, acertei?

Pois então, para você saber como lidar com essa raça de cachorros, o primeiro passo é buscar um adestrador de cães.

Em seguida , acompanhe o treinamento, e sobretudo, aprenda o máximo possível com as dicas do instrutor.

Aliás, ao passo que evoluir  as instruções do profissional que treinar seu amigo mascote, tudo pode sofrer consequências positivas.

Não esqueça

Por último, é importante lembrar que os animais tem sua natureza, mas conforme os tutores e demais familiares se comportam com o animal, certamente ele será influenciado nas suas  reações.

Logo, fique atento nas suas atitudes, pois, elas farão toda a diferença no comportamento do cão e assim as chances de ataque do Pitibull, possivelmente, serão menos frequentes.

Por fim, não deixe de ler: Cachorro Pequinês: saiba da alimentação, preço e cuidados dessa raça

Para obter mais conteúdos siga o Folha Go no Google News. Quer se avisado de graça sobre os melhores conteúdos em primeira mão? Receba Nossas Notificações Aqui!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.