Looks like you have blocked notifications!

Carlos Bolsonaro vira chacota nas redes após confundir LGPD e LGBT

A confusão entre os termos levou o vereador a criticar "autodeterminação informativa", que é uma proteção aos dados de cada indivíduo prevista em lei

-- Continuar depois da publicidade --

Durante uma sessão online da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro que ocorreu ontem (21) o vereador Carlos Bolsonaro confundiu LGPD e LGBT. Com isso, acabou virando alvo de chacota nas redes, conforme veremos nesta quarta-feira, 21/04.

O vereador pediu a palavra em meio a uma sessão que tratava da Lei Geral de Proteção de Dados, a LGPD. Contudo, ele a confundiu com LGBT, que se refere às lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais.

-- Continuar depois da publicidade --

Assim, ao se deparar com um artigo da LGPD que se referia à “autodeterminação informativa” (sobre o direito de cada usuário saber onde estão seus dados e qual o uso deles), acreditou se tratar de “identidade de gênero”.

Carlos Bolsonaro
Vereador confunde LGPD e LGBT, movimentando as redes. – Foto: Metro 1

Carlos Bolsonaro movimenta Twitter após confundir LGPD com LGBT

A confusão ocorreu durante uma sessão dos vereadores fluminenses. Ao pedir a palavra, o vereador Bolsonaro fez uma série de apontamentos sobre a “autodeterminação afirmativa”, acreditando-se tratar de uma questão de identidade de gênero.

Contudo, em verdade, esse tema se refere aos cuidados envoltos aos dados online que todos temos. Ou seja, diz respeito à Lei Geral de Proteção de Dados, a LGPD, que em nada tem a ver com os grupos LGBT.

Dessa maneira, o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro se tornou alvo de chacota nas redes. Inclusive, muitos internautas indicaram a possibilidade de criação da parada LGPD, em clara alusão à parada LGBT.

-- Continuar depois da publicidade --

Além disso, apesar do vereador Carlos Bolsonaro negar a confusão, ela fica clara no vídeo da sessão legislativa.

FGTS Aniversário 2021: Até Quando É Possível Sacar?

O FGTS aniversário 2021 é uma das alternativas que os trabalhadores têm para movimentar o Fundo de Garantia. Contudo, ele segue uma série de regras quanto à data da solicitação, aos prazos de saque e ao valor.

A possibilidade do saque-aniversário surgiu em 2019. Assim, entrou em vigor no ano de 2020. Desde então o trabalhador tem o direito de receber uma parcela do FGTS que consta em sua conta todos os anos. Para isso, entretanto, é preciso realizar um requerimento específico.

Looks like you have blocked notifications!

-- Continuar depois da publicidade --

Comments
Loading...