Banco Inter é seguro? Vale a pena abrir uma conta? Entenda

Instituição foi fundada em 1994 e de lá pra cá vem crescendo

-- Continuar depois da publicidade --

Os bancos digitais chegaram para revolucionar o mercado. Eles ganharam espaço resolvendo problemas dos bancos tradicionais. Isso porque, a maioria normalmente não cobra taxas, possuem pouca burocracia e são práticos. Com toda essa facilidade, alguns consumidores passam a desconfiar de sua segurança. Um desses bancos é o Inter, que também oferece opções para você guardar e movimentar seu dinheiro. Mas será que o Banco Inter é seguro? Fizemos um levantamento e explicaremos tudo hoje, 28/12.

Banco Inter é seguro? Consumidor deve seguir recomendações de segurança; entenda (imagem: divulgação/Freepik)
Banco Inter é seguro? Consumidor deve seguir recomendações de segurança; entenda (imagem: divulgação/Freepik)

-- Continuar depois da publicidade --

Veja também: Cartão C6 Bank é bom? Entenda como pedir e as vantagens oferecidas

O que é o Banco Inter?

O Banco Inter é um banco brasileiro que se chamava intermedium. Ele é um banco múltiplo pois oferece além de crédito soluções financeiras diversas, como consórcios, seguros, opções de investimentos e mais.

Ele foi fundado em 1994 como “financeira intermedium” pela mesma família do grupo da MRV Engenharia. Em 2007 reabriu as operações de crédito imobiliário e em 2014 lançou a sua Conta Digital.

Veja também: O que é Agibank? Como funciona? Vale a pena? Saiba aqui

Mas, o Banco Inter é seguro?

O Banco Inter tem história e tradição no mercado brasileiro, sendo considerado um dos primeiros bancos digitais do Brasil. Tem se destacado por oferecer produtos 100% digitais em que oferece aos consumidores serviços facilitados para que eles façam parte da instituição.

Por estar presente na internet e todas as suas operações estarem vinculadas ao meio digital, alguns consumidores questionam se o Banco Inter é seguro e se é seguro enviar os dados por meio do celular.

-- Continuar depois da publicidade --

O consumidor deve sempre desconfiar de ofertas extraordinárias e facilidades além do comum, mas no caso dos bancos digitais ele deve ficar tranquilo pois são instituições seguras.

O primeiro ponto que reforça essa afirmação é que o Banco Central também fiscaliza esses bancos digitais, assim como faz com os bancos tradicionais.

No quesito segurança, os bancos digitais devem sempre elaborar políticas de segurança cibernética para proteger os dados de seus clientes em ambiente virtual. Por isso devem possuir criptografia de ponta a ponta no envio e recebimento de informações evitando que os dados dos seus clientes sejam vazados.

Além disso, clientes que colocam seu dinheiro neste ou em qualquer outro banco também estão amparados pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) que garante a devolução de até R$ 250 mil em casos de falência ou liquidação da instituição financeira.

Veja também: Sacar dinheiro no Nubank gera custos aos clientes? Entenda

Cliente deve sempre acessar canais oficiais dos bancos e ficar atento

Como visto, do lado do Banco e do lado do mercado em si, existe uma estrutura forte para que suas informações não sejam comprometidas. Por outro lado, por estar em ambiente virtual, golpes são sempre mais fáceis de acontecer, atingindo principalmente aqueles que não tem muita facilidade com o manuseio de ferramentas digitais.

Para evitar prejuízos, podemos sugerir algumas ações:

  • Acesse sempre canais de atendimento oficiais do seu banco, como o aplicativo e site e nunca clique em algo que chegue ao seu celular com uma oferta incrível;
  • Evite abrir sua conta em computadores ou na internet pública;
  • Nunca informe sua senha a ninguém.

Se o cliente desconfiar de alguma ação ou movimentação estranha em sua conta, a comunicação ao banco por meio dos seus canais oficiais é sempre o certo a fazer.

-- Continuar depois da publicidade --

Comments
Loading...